Empate em Natal complica São Paulo

O São Paulo complicou sua campanha na segunda rodada da Copa dos Campeões ao empatar por 1 a 1 diante do Cruzeiro, neste domingo à tarde. Nem as presenças dos campeões mundiais Rogério Ceni, Kaká, e de Gabriel e Luís Fabiano conseguiu dar à equipe do Morumbi, condições de vencer o time mineiro. Restou como consolo para a equipe paulista levantar a taça comemorativa ao aniversário do Corpo de Bombeiros do Rio Grande do Norte. O São Paulo, como mandante do jogo teve o direito de levar o troféu.O são-paulino Kaká e o cruzeirense Ricardinho falaram antes do jogo começar, que as duas equipes iriam procurar a vitória. E essa disposição ficou evidente logo aos 4 minutos, quando o lateral Maicon passou por Gustavo Néri e bateu forte na entrada da grande área, obrigando Rogério Ceni a espalmar. O São Paulo só respondeu aos 18 minutos. Reinaldo recebeu lançamento de Kaká, entrou na grande área, livrou-se da marcação e bateu no canto direito de Jefferson, que fez boa defesa. Aos 23, Kaká fez falta em Maicon --um dos destaques do Cruzeiro-- na intermediária.Ricardinho bateu e Rogério agarrou com segurança. O São Paulo parecia estar jogando em casa. A direção do clube distribuiu cerca de 20 mil bandeiras para os torcedores natalenses. Quando o Cruzeiro era melhor em campo, aconteceu a surpresa. Lucas agarrou um adversário na área e o juiz paranaense Heder Lopes marcou pênalti, recebendo cartão amarelo. Na cobrança, Luis Fabiano, de volta ao clube paulista, chutou forte no canto direito e abriu o marcador.Com o gol, o São Paulo tenteou pressionar o Cruzeiro. No ataque seguinte, Jefferson conseguiu impedir a conclusão do ataque após falta cobrada por Gustavo Néri da esquerda. Aos 40 minutos, Cris cometeu falta feia em Júlio Baptista e levou o segundo cartão na competição. Aos 46 minutos veio o castigo para o São Paulo. Lucas tentou driblar Jean na entrada da grande área, e na sobra, Ricardinho, que chegava na altura da meia lua, chutou rasteiro. Rogério Ceni fez golpe de vista, a bola desviou na zaga e entrou no canto direito.Embora nenhum gol tenha sido marcado, o segundo tempo foi bem mais movimentado que a etapa inicial. Aos 12 minutos, Juciê entrou como quis pelo meio da zaga são-paulina mas parou na defesa de Rogério. O Cruzeiro continuou pressionando e no minuto seguinte Jorge Wagner venceu Júlio Baptista e chutou, Rogério voou e a bola passou por baixo de seu corpo, indo para a linha de fundo.A partir daí o Cruzeiro mandou no jogo. Aos 20, Ricardinho bateu forte para gol, de dentro da grande área e Rogério defendeu com segurança. Aos 25 minutos, na melhor chance do Cruzeiro, Ricardinho cobrou falta, levantando na área. O zagueiro Luisão subiu sozinho e cabeceou por cima do travessão. Aos 35 minutos, Luis Fabiano fez boa jogada no meio-de-campo e rolou para Adriano (que substituiu Kaká), que envolveu a zaga do time mineiro e tocou para o gol. Caprichosamente a bola passou perto da trave esquerda de Jefferson.No final do jogo, Oswaldo de Oliveira mexeu novamente na equipe, colocando Souza e Sandro Hiroshi. Nada mudou. Aos 40 minutos o atacante Lucas deu um tapa em Daniel Rossi e sequer recebeu advertência do juiz Heder Lopes. Assistindo a partida, na tribuna de honra do Machadão, o técnico do Vitória, Joel Santana disse que o Grupo C é muito difícil, e que sua equipe apesar de ter conquistado 4 pontos, não garantiu nada. O Grêmio, outro integrante da chave partiu para Porto Alegre às 15 horas. Na quarta feira o time gaúcho enfrenta o Olímpia em Assunção, pela semifinal da Taça Libertadores.Incidente - Antes de começar a partida a Polícia Militar do Rio Grande Norte prendeu seis membros da torcida Máfia Azul, e do São Paulo, que brigaram na parte externa do estádio Machadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.