Empate mantém Benazzi no comando da Portuguesa

Se o empate não foi bom para a Portuguesa, pelo menos manteve o técnico Vagner Benazzi no cargo. A diretoria deu sua palavra de que ele continua com respaldo e não será demitido. Mas como a situação do time é delicada, com nove pontos em oito rodadas, os próximos jogos serão cruciais.

VÍTOR MARQUES, Agencia Estado

13 de fevereiro de 2010 | 20h43

A constatação mais frequente é que a Portuguesa é capaz de tirar pontos dos grandes (venceu o São Paulo e empatou com Palmeiras e Corinthians) e tropeçar diante dos pequenos, como nas derrotas para Mogi Mirim e Botafogo, ambas no Canindé.

"Esses resultados foram estranhos. Perder para a Ponte em Campinas foi um resultado normal. Mas acho que depois desse empate começa um novo campeonato para nós", comentou o goleiro Fábio.

Domingos, expulso no segundo tempo, insistiu em dizer que não é mais um jogador violento e que está mais "inteligente" em campo, levando menos cartões. "Este foi o meu oitavo jogo e eu só tinha tomado dois cartões". E levou o vermelho após carrinho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.