Bruno Cantini / Atlético-MG
Bruno Cantini / Atlético-MG

Empolgado, Atlético-MG busca reação no Brasileirão diante do Corinthians

Equipe deve repetir escalação da última partida, na qual se classificou para a semifinal da Copa Sul-Americana

Redação, Estadão Conteúdo

01 de setembro de 2019 | 14h47

Motivado pela classificação às semifinais da Copa Sul-Americana, o Atlético-MG enfrenta o Corinthians neste domingo, às 19 horas, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. O confronto pode ser uma prévia da final do torneio continental, já que, se passarem pelos seus adversários nas semifinais, os dois brasileiros se encontrão na decisão.

"Tem essa possibilidade de fazermos a final juntos. Dando tudo certo, a final será em estádio neutro, mas é importante a gente estudar e viver muito essa partida porque é uma das possíveis finais da Sul-Americana", destaca o técnico Rodrigo Santana.

Antes de pensar em uma eventual final da Sul-Americana, o Atlético-MG precisa reagir no Brasileirão, já que vem de duas derrotas seguidas para Athletico-PR e Bahia, ambas por 1 a 0, e saiu do pelotão que reúne os quatro primeiros colocados. E o duelo deste domingo também é importante pois é direto na briga pelos primeiros postos, ao passo que o time mineiro tem 27 pontos, um a menos que o adversário paulista.

"Esperamos fazer um jogo em que a gente erre o mínimo possível e consiga concluir em gol as chances que criarmos", disse Santana, que escalará o que tem de melhor na partida. Ele garante que não há jogadores desgastados e, por isso, não existe motivo para poupar.

Os desfalques são os mesmos de há algum tempo: os goleiros Victor e Uilson, o zagueiro Iago Maidana e o volante Gustavo Blanco, todos em processo de recuperação de suas respectivas lesões.

Elias pode ser uma arma importante em favor da equipe atleticana pois conhece bem o Corinthians, equipe em que tem duas relevantes passagens e pela qual conquistou títulos, entre eles o Campeonato Brasileiro.

"O Corinthians é uma equipe que não se expõe, sempre joga no erro. E, jogando em casa, sempre vai ter o erro a seu favor, conhece o campo, o gramado. Então, tem esse fator que ajuda muito a equipe da casa. Mantendo a organização e fazendo um jogo seguro, temos grandes chances de sair de lá com a vitória", opinou Elias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.