JF Díório/Estadão
JF Díório/Estadão

Empresa alemã Allianz dará nome ao novo Palestra por R$ 300 milhões

Seguradora sela acordo com a construtora WTorre no mesmo dia em que a Prefeitura libera as obras

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

25 de abril de 2013 | 08h27

SÃO PAULO - Ontem o dia foi de festa na Arena Palestra. Primeiro, após meses de negociações com diversas empresas, a WTorre anunciou o acordo com a seguradora alemã Allianz, que terá o naming rights do estádio. Depois, mais uma boa notícia: após batalha de uma semana com a Prefeitura, a construtora conseguiu a liberação das obras, paralisadas desde 15 de abril.

O acordo com a Allianz vai render R$ 300 milhões por um contrato de 20 anos. A seguradora tem o nome em vários estádios pelo mundo e o principal deles é o campo onde joga o Bayern de Munique. O acordo chegou a ser paralisado por causa da tragédia ocorrida da semana passada, quando quatro lajes desabaram na obra e causaram a morte de um operário – outro ficou ferido. Mas a construtora voltou a entrar em contato com a empresa e conseguiu mostrar que selar o acordo não faria seu nome ficar ligado a algo negativo e que uma demora no acerto poderia abrir espaço para outras empresas interessadas.

O valor será pago em prestações e parte do dinheiro vai para os cofres do Palmeiras. A construtora não confirma oficialmente – só falará na segunda-feira, data do evento que marcará o acordo –, mas o Palmeiras ficará com 5% do valor pelos primeiros cinco anos de parceria e aumentaria 5% a cada cinco anos até chegar aos 20%. Os 10 anos restantes de gestão da WTorre sobre a Arena serão discutidos no futuro, mas a prioridade é da Allianz.

Até o fim da semana, mais algumas reuniões entre representantes da construtora, da seguradora, do clube e da AEG (responsável pela organização dos eventos na Arena) vão definir o nome que passará a ser chamado o estádio. A escolha mais provável é Allianz Palestra. Entretanto, estudam ainda Allianz Arena e Allianz Palmeiras – eles tentam definir isso até segunda. Outra ideia que está sendo estudada e tem boas chances de ocorrer é um amistoso entre Palmeiras e Bayern de Munique, ano que vem, em data a ser definida pelos clubes.

OBRAS DE VOLTA

Enquanto negociava com a Allianz, os diretores da WTorre também tentavam conseguir a autorização da Prefeitura para continuar a obra e ela veio ontem. A Subprefeitura da Lapa liberou que parte da obra continue a ser executada a partir de hoje. O único setor que vai continuar interditado é o local onde aconteceu o acidente. O espaço tem 4.800 metros quadrados, algo em torno de 10% do total da obra. Segundo a Subprefeitura, o local continuará interditado para garantir a segurança dos funcionários e não tem prazo para que seja liberado.

A Polícia Civil iniciou na semana passada um inquérito para descobrir a causa do acidente e já ouviu algumas pessoas. A WTorre chegou a elaborar um laudo onde foi constatado falha humana e ele foi anexado ao processo, mas não tem validade legal já que não foi feito pela Prefeitura ou pela polícia. A expectativa é de que a investigação dure até 30 dias. Mas, se for preciso, a polícia pode pedir para estender o prazo.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolPalmeirasArena PalestraAllianz

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.