Empresa argentina faz acordo com a Justiça e paga multa em escândalo da Fifa

Acordo é aprovado pela juíza Pamela Chen em audiência na corte federal do Brooklyn

Estadão Conteúdo

13 de dezembro de 2016 | 20h57

Uma das empresas envolvidas no escândalo da Fifa, a argentina Torneos y Competencias chegou a um acordo com a Justiça norte-americana nesta terça-feira para evitar uma denúncia criminal. A empresa, acusada de pagar propinas a altos dirigentes da Fifa para ganhar o direito de transmissão das Copas de 2018, 2022, 2026 e 2030, acertou pagamento de multa no valor de US$ 112,8 milhões, equivalente a R$ 380 milhões.

O acordo foi aprovado pela juíza Pamela Chen em audiência na corte federal do Brooklyn, em Nova York. A empresa vai devolver US$ 89 milhões e ainda pagará US$ 23,76 milhões, totalizando os US$ 112,8 milhões. O Departamento de Justiça dos EUA investiga os escândalos da Fifa desde o início da década e causou repercussão mundial ao prender sete cartolas da entidade em maio do ano passado em um hotel de Zurique, na Suíça, às vésperas da eleição da Fifa.

A Torneos y Competencias é a primeira empresa a fazer acordo com a Justiça norte-americana desde a eclosão do escândalo em 2015. A TyC, como é conhecida, é um dos 43 alvos de investigação do FBI, entre pessoas e empresas. Até agora 20 pessoas e duas companhias já foram consideradas culpadas no escândalo da Fifa.

De acordo com o Departamento de Justiça dos EUA, a empresa argentina pagou milhões de dólares em propina a altos dirigentes da Fifa e da Conmebol para ter direito de transmissão de competições de futebol. No caso da entidade mundial, TyC queria o direito de vender a canais de TV da América do Sul a transmissão dos Mundiais de 2018, 2022, 2026 e 2030.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.