Reprodução
Reprodução

Empresa demite funcionário que constrangeu russas durante a Copa

Felipe Wilson foi desligado pela Latam após divulgação de vídeo em que aparece pedindo para russas falarem palavrão

O Estado de S.Paulo

20 Junho 2018 | 13h39

Após muita polêmica, a Latam anunciou a demissão do funcionário Felipe Wilson, responsável por um vídeo em que ele aparece constrangendo mulheres na Rússia, durante a Copa do Mundo da Rússia. A empresa divulgou uma nota dizendo que repudia a atuação de seu ex-funcionário e que tomou as medidas cabíveis, de acordo com seu código de ética e conduta. 

+ Após assédio, russos abrem inquérito contra brasileiros

+ Brasileiros envolvidos em assédio prestam 'imenso desserviço' ao País, diz ministro

+ 'Não é zoeira, é machismo': Artistas se revoltam com vídeo de brasileiros na Rússia

Em um trecho do vídeo, ele pede para as russas repetirem a frase: "eu quero dar a b... para vocês". Em seguida, Felipe aparece sorrindo e gritando "Brasil, Brasil" e um outro homem entra na frente da câmera assobiando. 

A companhia aérea divulgou uma nota oficial sobre o caso. "A LATAM Airlines Brasil repudia veementemente qualquer tipo de ofensa ou prática discriminatória e reforça que qualquer opinião que contrarie o respeito não reflete os valores e os princípios da empresa. A partir deste pressuposto, a companhia informa que tomou as medidas cabíveis, conforme seu código de ética e conduta", diz a empresa, em nota enviada ao Fera. 

No sábado, um outro vídeo machista, misógino e racista postado nas redes sociais por um grupo de brasileiros que estão na Rússia para acompanhar o Mundial 2018 causou grande repercussão. Nas imagens que têm revoltado muitas mulheres, ao menos cinco homens tentam convencer uma mulher russa a gritar uma frase impublicável, uma referência constrangedora a ela própria. 

Há também casos de torcedores colombianos e uma jornalista também já foi assediada durante o Mundial. 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.