Alexandre Loureiro / Reuters
Alexandre Loureiro / Reuters

Empresa que opera VAR no Brasileirão explica falha do equipamento no jogo Vasco x Inter

Hawk-eye afirma que sistema ficou 'descalibrado' e enquanto ocorria atualização saiu o gol de Rodrigo Dourado

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de fevereiro de 2021 | 20h32

A empresa Hawk-eye, que opera o sistema do VAR no Campeonato Brasileiro, se manifestou sobre a polêmica ocorrida com o equipamento durante o jogo entre Vasco e Internacional neste domingo. O sistema teve uma falha no momento do primeiro gol do Inter, aos dez minutos do primeiro tempo, e não foi possível conferir se Rodrigo Dourado estava impedido na hora do cruzamento.

Segundo a Hawk-eye, o problema foi causado pelo baixo ângulo das câmeras em conjunto com a sombra se movendo no campo, o que fez com que fosse necessário recalibrar o sistema. Enquanto isso era feito, saiu o gol de Rodrigo Dourado, que não pode ser checado pelo VAR e, portanto, foi mantida a decisão de campo do árbitro e do auxiliar, de que o tento foi válido. Você pode conferir a nota completa no final desta matéria.

A situação revoltou o Vasco, que promete entrar no STJD para pedir a anulação da partida. Segundo o clube, foi pedido que uma câmera da TV oficial do clube fosse retirada do terço final do campo, com a justificativa de impedir que imagens conflitantes entre as registradas por ela e as registradas pelas do VAR, além do problema ocorrido com o 'descalibramento' posteriormente.

A CBF, no entanto, rejeitou a possibilidade de declarar o resultado da partida como nulo, de sua parte - o caso ainda será analisado pelo STJD. Para a entidade, apesar da demora e da pane do sistema, a decisão tomada pela arbitragem de validar o gol foi correta, o que foi verificado quando o VAR voltou a funcionar.

O pedido do Vasco tem poucas chances de prosperar. O regulamento da CBF diz que "quando houver qualquer problema técnico ou lance inconclusivo no VAR, prevalecerá a decisão de campo", que foi o que aconteceu em São Januário neste domingo.


NOTA OFICIAL - HAWK-EYE

Durante a partida VASCO DA GAMA x INTERNACIONAL na data 14 de fevereiro de 2021, ocorreu, lamentavelmente, um problema técnico que afetou a disponibilidade das linhas de impedimento.

Esse inconveniente foi causado pelo baixo ângulo das câmeras, em conjunto com a sombra se movendo no campo. Embora seja uma ocorrência muito incomum no software, a equipe operacional imediatamente seguiu o procedimento para recalibrar o sistema, o que foi concluído em poucos minutos. Infelizmente, esse processo não havia sido concluído quando a revisão foi solicitada e as linhas não estavam disponíveis para uso.

A questão foi comunicada ao VAR, que seguiu o protocolo de acordo com os requisitos da FIFA e da IFAB, informando ao campo a situação, e que nenhum erro claro e óbvio poderia ser determinado apenas com base nas imagens da TV, recomendando ao árbitro de campo manter sua decisão inicial de validar o gol.

O sistema estava totalmente operacional no início da partida e imediatamente após a recalibração. A tecnologia Hawk-Eye e nossos operadores cumprem os mais altos padrões de qualidade, no entanto, situações como essa nos inspiram a sempre nos dedicarmos no sentido do aprendizado e da inovação.

A Hawk-Eye gostaria de pedir desculpas à CBF e aos torcedores de futebol em geral por este inconveniente, e garantir que temos o compromisso de inovar continuamente e aprimorar a tecnologia para tornar todos os esportes, inclusive o grande jogo de futebol, uma experiência mais justa e mais emocionante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.