Albert Gea/Reuters
Albert Gea/Reuters

Empresa que recebia renda de jogos da seleção não existia fisicamente

Uptrend aparece como tendo sido criada em março de 2006, já na cidade Cherry Hill

JAMIL CHADE - Correspondente, O Estado de S. Paulo

17 de agosto de 2013 | 08h03

GENEBRA - A empresa que recebia quase um terço da renda de cada amistoso da seleção brasileira, a Uptrend Development, jamais existiu fisicamente no endereço que era divulgado em seu registro oficial. Documentos obtidos pelo Estado revelam que a Uptrend tinha como seu representante o atual presidente do Barcelona, Sandro Rosell, e ficava na pequena cidade de Cherry Hill, 140 km de Nova Iorque e no Estado de Nova Jersey.

O local é de uma empresa que aluga salas para que companhias façam reuniões e oferece como serviços a possibilidade de que empresas possam existir apenas virtualmente. O endereço é alugado e uma secretária é fornecida para que possa pegar recados. Mas ela trabalha para uma dezena de companhias que alugam o mesmo serviço.

No endereço do registro, a empresa de Rosell ficaria no escritório número 105 da Church Road, número 811. Segundo informou a empresa que aluga o local, o escritório 105 é apenas uma sala de reuniões que um grupo, empresário ou qualquer pessoa pode alugar por dia. "Essa empresa não existiu fisicamente", garantiu a secretária do local, que pediu para não ser identificada. "Eu trabalho aqui há dez anos", insistiu.

Em outros documentos, a Uptrend aparece como tendo sido criada em março de 2006, já nesse endereço na cidade de 69 mil habitantes em Nova Jersey. Em novembro, ela fecharia um contrato de mais de 8,3 milhões de euros para prestar serviços de marketing e promoção para 24 jogos amistosos da seleção brasileira. O registro da empresa teria sido cancelado em abril de 2013.

Na quinta-feira, a reportagem do Estado revelou que o esquema fazia parte de um desvio da renda dos jogos da seleção. O edifício que hospedava a suposta empresa chama-se Tarragon Office Center. Na Catalunha, Tarragona é uma das principais cidades.

A assessoria do Barcelona não respondeu aos pedidos de explicação da reportagem. Para a imprensa espanhola, o clube apenas disse que não iria se pronunciar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.