Empresa quer indenização de Ronaldo

Ao mesmo tempo em que Ronaldo pede paz à imprensa de todo o mundo, o atacante se vê em uma disputa judicial entre ele e uma empresa suíça, na qual o campeão mundial pode perder US$ 10 milhões, que pode lhe render grande dor de cabeça.Em Genebra, a Montega, empresa suíça fabricante de relógios, está pedindo que Ronaldo pague uma indenização de US$ 10 milhões, como ressarcimento de prejuízos causados pelas lesões que deixaram o jogador inativo por cerca de dois anos. Durante este período, as vendas do modelo R9, nome composto pela inicial do jogador e o número da camisa que veste em campo, caíram vertiginosamente.Por seu lado, Ronaldo reclama o pagamento de US$ 4 milhões que ainda tem a receber da Montega, conforme contrato que assinou com a empresa em 1998. Conforme o documento, o atacante receberia remuneração fixa de US$ 5,2 milhões (dos quais já recebeu U$S 1,2 milhão, que a empresa reclama de volta), além de uma pequena porcentagem sobre as vendas, que seria destinada a uma fundação de assistência a menores carentes.A Montega deixou de pagar Ronaldo quando começaram os problemas de saúde do jogador. Segundo Alain Macaluso, um dos advogados da empresa, "uma cláusula no contrato estabelece que o jogador deve estar em boa forma durante a vigência do documento, para promover as vendas do relógios R9". Um outro advogado dos relojoeiros, Dominique Poncet. acredita que sempre há riscos quando se contrata um esportista, "mas ele também tem de sofrer as conseqüências. E se ele conhecia e foi alertado sobre esse risco, então o caso é mais sério."Batalha - Cyrille Piguet, advogado do Emporio Ronaldo, empresa que representa os interesses do jogador, afirma que o tribunal de justiça de Genebra concorda que a Montega deve US$ 4 milhões a Ronaldo. Ele diz que já pediu várias vezes, sem obter resposta, acesso aos balanços da empresa que comprovem o prejuízo sofrido. Ao que tudo indica, essa é uma batalha judicial que ainda levará algum tempo para ser resolvida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.