Alex Silva/ Estadão
Alex Silva/ Estadão

Empresa responsável pelos refletores do Morumbi se defende de críticas

Refletores que foram atualizados neste ano receberam críticas após o gol sofrido pelo São Paulo no clássico contra o Palmeiras

Guilherme Amaro, O Estado de S.Paulo

19 de julho de 2019 | 04h30

Os refletores do Morumbi foram muito criticados no último sábado, após o empate por 1 a 1 entre São Paulo e Palmeiras, no clássico disputado pela décima rodada do Brasileirão. O goleiro tricolor Tiago Volpi evitou dar desculpas pelo gol sofrido por cobertura, mas afirmou ter sido atrapalhado pela luz. Do lado alviverde, Weverton disse que os refletores do Morumbi são "os piores para os goleiros". 

A empresa responsável pelos refletores do Morumbi, Signify, se defendeu das críticas. Os equipamentos foram atualizados neste ano: a potência do sistema passou de 700 lux (unidade de iluminamento) para 3.000 lux, e a troca por modelos de LED custou cerca de R$ 2,8 milhões. Após as críticas, o São Paulo avalia possíveis mudanças nos refletores. A empresa, por sua vez, aguarda o posicionamento do clube.

"Todos os produtos de esportes e arena da Signify são projetados para estar em conformidade com os regulamentos nacionais e internacionais das respectivas Federações. No Morumbi, usamos um sistema que define o padrão em distribuição óptica de alta qualidade com alto desempenho e baixa poluição luminosa (ou controle efetivo de luz). Nosso sistema, incluindo os altos mastros necessários, projeta a luz exatamente para onde ela deve ir", disse o gerente geral da Signify no Brasil, Sergio Baptista Da Costa.

"Não podemos fazer nenhum julgamento ou comunicar quaisquer possíveis 'ajustes' antes de analisarmos o assunto completamente com o São Paulo. Nesse caso, quaisquer novos desenvolvimentos relativos a isso serão emitidos diretamente por representantes do São Paulo com base em qualquer potencial técnico a ser revisto se esse for o caso. Reforçamos que todos os produtos de esportes e arena da Signify são projetados para estar em conformidade com os regulamentos nacionais e internacionais das respectivas Federações", acrescentou.

Outra crítica que os novos refletores receberam, desta vez de torcedores, é de que as arquibancadas atrás do gol ficaram muito escuras. O gerente da Signify também não descartou fazer algum ajuste neste sentido.

"Nosso sistema de iluminação esportiva define o padrão em distribuição óptica de alta qualidade com alto desempenho e baixa poluição luminosa (ou controle de luz eficaz). Caso o São Paulo nos questione sobre qualquer aspecto técnico deste projeto em particular para melhorar ainda mais a experiência dos fãs, vamos avaliar a situação e trabalhar em estreita colaboração com eles para sempre oferecer a melhor experiência possível", afirmou Sergio Baptista Da Costa.

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo Futebol Clubefutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.