Sergei Karpukhin/Reuters
Sergei Karpukhin/Reuters

Empresa vai devolver taxa paga por ingresso para a Copa na Rússia

DHL afirma que pretende isentar os consumidores do pagamento de valor para receber em casa as entradas do Mundial

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

17 Maio 2018 | 07h03

Muitos torcedores brasileiros que compraram ingressos para a Copa do Mundo na Rússia estão tendo uma dor de cabeça para receber os bilhetes em casa, conforme prometido na hora da aquisição pela internet. Eles reclamam de uma taxa “extra” cobrada pela empresa de logística global DHL para finalizar o envio. Os valores variam de acordo com a quantidade pedida de ingressos por pessoa.

+ Confira a agenda de jogos da Copa do Mundo na Rússia

No site Reclame Aqui, por exemplo, há várias manifestações de pessoas que estão reclamando da cobrança adicional. Elas foram informadas que os valores se referiam à “importação da encomenda”. Mas no sistema oficial que a Fifa utiliza para a venda de ingressos consta sempre que o pagamento é um valor final, ou seja, não poderia ser acrescido de outro custo.

Procurada pelo Estado, a empresa de entrega das entradas prometeu regularizar a situação em breve. “A DHL Express Brasil informa que não há taxas indevidas repassadas aos clientes que adquiriram os ingressos da Fifa 2018 e decidiu isentar os consumidores do pagamento da mesma. Os clientes que já receberam os ingressos e efetuaram o pagamento serão reembolsados”, informou em nota.

A multinacional não diz em quanto tempo os torcedores brasileiros serão ressarcidos dos valores pagos, mas, em postagens no site Reclame Aqui, um representante da empresa responde aos torcedores dizendo que vai entrar em contato com todos para resolver a situação e pede desculpas pelo caso.

Os torcedores afetados por esse problema, primeiramente, haviam recebido um e-mail da DHL avisando que a remessa estava a caminho e que chegaria em poucos dias. Só que um outro e-mail, dois dias depois, avisava que haveria um imposto de importação a pagar. “Vamos pagar a taxa de importação às autoridades por você para acelerar a autorização regulamentar”, informa o documento oficial ao qual o Estado teve acesso.

No caso, o valor a ser pago era de R$ 197,85, mas a taxa é diferente para cada um. Pelo rastreamento da remessa, foi possível detectar que no dia esperado para chegar o ingresso, que constava no e-mail inicial, estava escrito: “Envio retido. Disponível após regularização do pagamento”. Por causa disso, muitos têm optado por pagar a taxa.

INGRESSOS NA MÃO

O torcedor Gustavo Criscuolo, de Guarulhos, passou pela situação de precisar pagar a taxa extra para receber os ingressos da Copa em casa. “Na quinta-feira, eu recebi um e-mail me cobrando, era uma taxa de R$ 66 da DHL, além de um imposto que eles diziam que foi cobrado na Receita Federal. Ao todo, a conta deu R$ 186,59”, afirmou.

“Eu paguei pelo telefone, fizeram a cobrança no cartão, mas depois não chegou no dia programado, teve um atraso. Acabei pegando esses ingressos na segunda-feira apenas”, disse.

Ele já tinha ouvido que poderia haver ressarcimento em relação à taxa, mesmo assim optou por pagar para garantir que teria os ingressos na mão. “Na segunda, me falaram que a DHL faria o reembolso do valor total pago. Liguei lá, me passaram um documento para preencher, assinar e encaminhar de volta. A promessa era que em dois dias úteis eu receberia o depósito na conta corrente”, explicou.

O torcedor ainda vai fazer o trâmite para recuperar o dinheiro, mas já se vê na Rússia torcendo pela seleção. Os ingressos na mão são a concretização desse sonho. “Viajo dia 8 de junho, visito o Marrocos antes, e chego em Moscou dia 13. Vou ver França x Austrália, Colômbia x Japão, Portugal x Marrocos, Argentina x Croácia, Argentina x Nigéria e Brasil x Sérvia. Tentarei ainda ir à abertura”, contou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.