Benjamin Cremel/ AFP
Benjamin Cremel/ AFP

Empresário acusa Benzema de agressão e sequestro; jogador se defende

Promotoria de Paris inicia investigação por tentativa de extorsão ao atacante do Real Madrid

EFE

19 Outubro 2018 | 10h22

Advogado do atacante Karim Benzema, Sylvain Cormier acusou nesta sexta-feira, 19, o empresário Léo D'Souza de ter tentado roubar o jogador do Real Madrid. A declaração é uma resposta à acusação do empresário, que alega ter sofrido uma agressão e uma tentativa de sequestro por pessoas próximas ao jogador francês.

Em entrevista à Agência Efe, Cormier disse que D'Souza "sonhava em trabalhar com Benzema", mas que "sonhou um pouco demais". O advogado irá ao tribunal para formalizar uma denúncia por difamação contra D'Souza, acrescentando ao que ele diz ter apresentado por "abuso de confiança" contra o agente.

Ele considerou que as alegações de D'Souza, de que uma pessoa próxima ao atacante francês o agrediu e tentou colocá-lo a força em uma caminhonete, no último dia 7, em frente a um bar de Paris são "um subterfúgio" para tentar ocultar sua suposta tentativa de fraude.

A Promotoria de Paris confirmou que iniciou uma investigação por tentativa de extorsão a D'Souza por essa briga, que aconteceu em um dia que Benzema estava na capital francesa, onde assistiu a goleada do Paris Saint-Germain sobre o Lyon por 5 a 0 pelo Campeonato Francês.

A investigação tem sua origem na denúncia de D'Souza contra uma pessoa que, segundo a Procuradoria, não é Karim Benzema. O jogador do Real Madrid zombou em sua conta do Twitter da denúncia e pediu o término deste assunto apontando, com ironia, aquelas que ele considera inconsistências do denunciante.

'D'Souza diz que Benzema estava na caminhonete, e os investigadores descartaram essa tese'. Esse mundo é sério?", questionou o jogador.

O site francês Mediapart revelou este caso, afirmando que a pessoa denunciada é Smaine Tabennehas, amigo de infância do jogador, e que no furgão estavam seu motorista de confiança e Yamna Aghrib, a assessora de imprensa. Cormier afirmou à Efe que essas pessoas são "amigos de D'Souza", e disse não saber se depois foram ao hotel Royal Monceau, onde Benzema estava hospedado.

O advogado também se recusou a entrar na questão se seu cliente tinha pedido ao agente que transportasse, no final de julho, 50 mil euros (R$ 212 mil) - procedentes de um trabalho do jogador para um patrocinador - de Marrocos para a França, e afirmou que as investigações abertas deverão esclarecer as coisas.

De acordo com o empresário, os alfandegários marroquinos requisitaram esse dinheiro no aeroporto de Marrakech, mas o clã de Benzema não acredita e por isso o agrediram em Paris, no último dia 7.

O jogador do Real Madrid é acusado na França desde 2015 pelo seu suposto envolvimento em uma tentativa de extorsão contra seu antigo companheiro de seleção, Mathieu Valbuena. A acusação, objeto de um processo de anulação, será decidida pelo Tribunal de Apelação de Paris no próximo dia 8 de novembro, mas que nestes três últimos anos impediu que Benzema defendesse a seleção francesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.