Cid Alves / ASCOM Clube do Remo
Cid Alves / ASCOM Clube do Remo

Empresário ameaça denunciar Remo ao STJD por causa de salários atrasados

Clube ainda teve energia de estádio cortada por falta de pagamento

Estadão Conteúdo

06 de setembro de 2017 | 10h44

A crise financeira ameaça o Remo. No mesmo dia em que teve a energia no estádio Baenão por falta de pagamento, o clube viu o empresário Luiz Nunes ameaçar denunciá-lo ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva pelos atrasados nos salários de seus clientes.

Em entrevista ao globoesporte.com, Nunes disse que o Remo não estava cumprindo com salários e o pagamento do fundo de garantia por tempo de serviço (FGTS), entre outras obrigações. Por isso, ameaçou denunciar o clube no STJD, o que poderia levar o clube a perder pontos na série C.

O Sindicato dos Atletas Profissionais foi informado da situação e pode enviar a denúncia ao Ministério do Trabalho, ao Tribunal Regional do Trabalho e à CBF. A diretoria do clube respondeu confirmando a pendência de um mês de salário e que o pagamento de 50% seria feito nesta quarta-feira, antes da denúncia ser levada ao STJD.

Sobre o corte de energia, a diretoria do clube emitiu nota oficial garantindo ter crédito com fornecedora de energia estadual, por meio de um programa onde torcedores contribuem a pagar a conta e que o corte teria sido feito por uma empresa terceirizada. A diretoria disse ainda que tentaria resolver a situação até o fim do dia, mas não publicou informações se obteve sucesso.

O Remo está no G-4 do Grupo A da série C, se classificando para o mata-mata, mas venceu apenas uma das últimas seis partidas. Na rodada derradeira, pode ser eliminado mesmo se vencer, caso o Confiança-SE vença e tire a diferença no saldo de gols para o time paraense - ambos tem 22 pontos, e o time sergipano tem 2 gols a menos de saldo. O Remo enfrenta o Salgueiro-PE, fora de casa, e o Confiança joga contra o já rebaixado ASA-AL, em Arapiraca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.