Reprodução
Reprodução

Argentino foragido no escândalo da Fifa se entrega na Itália

Alejandro Burzaco fugiu no dia da batida do FBI no hotel da Fifa

Jamil Chade, correspondente em Genebra, O Estado de S. Paulo

09 de junho de 2015 | 08h52

O empresário argentino procurado pela Interpol, FBI e pelos suíços por causa do escândalo da Fifa se entregou na manhã desta terça-feira, na Itália. Alejandro Burzaco, de 50 anos, tomava seu café da manhã no hotel Baur au Lac, em Zurique, quando a operação policial começou no dia 27 de maio e que acabou na prisão de José Maria Marin. Ao se dar conta de que se tratava de uma ação contra a Fifa, deixou o local sem ser notado, não retornou ao seu quarto e conseguiu sair da Suíça.

Nesta terça, ele optou por se entregar à polícia italiana, aconselhado por seus advogados para que tentasse negociar um acordo de delação premiada. Ele deve aguardar uma extradição para os EUA. Burazco era uma das 14 pessoas indiciadas pelo Departamento de Justiça dos EUA, suspeito de envolvimentos em casos de corrupção no futebol e que movimentou US$ 150 milhões. O argentino era o CEO da Torneos, uma empresa envolvida em subornos de cartolas em eventos na América Latina.

Às 11h30 horas (6h30 do horário de Brasília), ele se apresentou em uma delegacia de Bolzano, no norte da Itália. O empresário se disse disposto a "colaborar com as investigações" que ocorrem nos EUA. Burzaco tem passaporte italiano, mas indicou que quer prestar depoimento e estaria disposto a viajar aos Estados Unidos. Além disso, Roma e Washington contam com acordos de extradição que permitirá o envio do suspeito.

Tudo o que sabemos sobre:
futebol internacionalfutebolfifa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.