ORLANDO CITY
ORLANDO CITY

Empresário confirma que irá vender Orlando City, de Marta e Pato, para os donos dos Vikings, da NFL

Flávio Augusto pretende se desfazer do time masculino e também do Orlando Pride, sua versão feminina

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2021 | 21h20

O empresário brasileiro Flávio Augusto da Silva, fundador da rede de escolas de inglês Wise Up e proprietário das franquias de futebol Orlando City (time masculino) e Orlando Pride (time feminino), anunciou que está prestes a deixar o comando das equipes, em uma negociação com a família Wilf, dona do Minnesota Vikings, time da NFL. Os times disputam as principais ligas de futebol dos Estados Unidos, a MLS e a NWSL, e contam com vários atletas brasileiros no elenco, como Marta e Alexandre Pato.

Flávio Augusto já ensaiava uma saída dos clubes desde 2019, conforme adiantou ao Estadão. Segundo ele, a intenção era dedicar seu tempo a realizar obras de filantropia. Em comunicado divulgado à imprensa, o empresário brasileiro afirmou que as franquias e o estádio em que elas jogam devem ser vendidas para a família Wilf.

Dono do Orlando City desde 2013, Flávio Augusto afirmou ter orgulho do que conseguiu à frente da franquia, como a construção do Estádio Exploria e da entrada do time na MLS, além da construção de centros de treinamentos de alta qualidade para as duas equipes.

"Com paixão pelo esporte e pelos dois times de Orlando que estão em posição de competir por troféus, estou confiante que a família Wilf continuará a impulsionar a Orlando City SC para que chegue a posições melhores, bem como liderará o clube nesta nova fase, tanto dentro como fora do campo", afirma a nota.

O time masculino tem o lateral-direito Ruan, o zagueiro Antônio Carlos, o volante Júnior Urso e atacante Alexandre Pato de brasileiros no elenco; o Orlando Pride conta com as defensoras Camila e Poliana e a atacante Marta. Outros jogadores com passagem pela seleção brasileira, como Kaká e Júlio Baptista, também passaram pelo Orlando City.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.