Empresário de gremista é destituído

O empresário Sérgio Leismann está impedido pela Justiça de representar o meia-armador Anderson, 17 anos, do Grêmio, em qualquer negociação. A decisão foi tomada pelo do juiz da Vara da Infância eJuventude de Porto Alegre, Breno Beutler Júnior, na noite desexta-feira. Ele concedeu liminar em ação movida pela mãe do jogador,Doralice Oliveira, e estabeleceu multa diária de R$ 10 mil para o casode descumprimento da ordem.O juiz considerou que, por não ter atingido a maioridade, Anderson sópode ser representado pela mãe. E destacou, em sua justificativa, que"o jovem ainda está sob o crivo do poder familiar, exercido, e bemexercido pela mãe, na defesa dos interesses dele em detrimento dos deterceiros, que não têm legitimidade para administrar sua vida".O conflito entre a mãe do jogador e Leismann é antigo. Doralice nãogosta da influência do empresário sobre seu filho, que foi morar numhotel quando tinha 16 anos e comprou um carro de luxo logo que teve seusalário aumentado de R$ 800 para R$ 40 mil, em março deste ano.Anderson não comenta o assunto, que considera particular, mas dá aentender que toma suas decisões sozinho.Tido como a maior promessa surgida no Olímpico depois de RonaldinhoGaúcho, Anderson está preparando as malas para jogar na Europa. Odiretor-esportivo do Palermo, Rino Foschi, desembarca em Porto Alegrenos próximos dias. Se confirmar a proposta de 6 milhões de euros (R$17,5 milhões) para o Grêmio, leva o jogador. O clube gaúcho vê nonegócio a chance de quitar parte de sua dívida de R$ 45 milhões ealiviar a pressão dos credores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.