Divulgação
Divulgação

Empresário de Hernanes nega contato do São Paulo: 'Não tem qualquer conversa'

Joseph Lee diz que é necessário conversar primeiramente com a Juventus e lembra que jogador está em grande clube

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

03 Fevereiro 2017 | 17h55

O empresário do volante Hernanes negou qualquer negociação com o São Paulo para um possível retorno do jogador ao clube que o revelou. Segundo Joseph Lee, a Juventus ainda não foi procurada. "Não tem nada. Vi que o São Paulo falou alguma coisa sobre isso, mas tem de falar com o clube dele também. Não foi feito isso", afirmou.

Desde a saída do atacante David Neres, vendido por R$ 40 milhões ao Ajax, da Holanda, a torcida do São Paulo começou a apostar na chegada de grandes reforços com o dinheiro da negociação. Além de precisar negociar com a Juventus, o clube brasileiro ainda teria de convencer o volante reduzir drasticamente seu salário mensal, de cerca de R$ 900 mil na Itália para R$ 300 mil no Brasil.

Questionado sobre se a negociação seria complicada, Lee foi categórico. "Não é difícil, não tem qualquer conversa. Tem de avançar na situação", explicou. O próprio presidente Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco, confessou que ainda não existem tratativas pelo retorno de Hernanes, visto com bons olhos pelo técnico Rogério Ceni.

"É uma perspectiva mais na linha do nosso desejo. Estamos avaliando, a coisa está em fase de estudos, mas pode evoluir. O São Paulo não está em negociação com a Juventus. O Hernanes sempre tem uma posição muito positiva em relação ao São Paulo. Não sabemos a condição dele, eu não poderia adiantar nada", disse, em entrevista à rádio Transamérica.

Para o empresário do atleta, a ausência na lista da Juventus na Liga dos Campeões não é um indício de que o jogador vai sair do clube. "Ele está muito bem, o Hernanes é um rapaz muito tranquilo. Ele não atua na Liga dos Campeões, mas pode atuar em outras competições. Está em um time top, da Itália e a decisão de não colocá-lo na lista é do time. Ele vai continuar treinando e jogando", explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.