Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Empresário de Jobson descarta negociação com o Palmeiras

Atacante disse no Twitter que negociava com o time alviverde

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

06 de fevereiro de 2014 | 16h31

SÃO PAULO - O atacante Jobson causou surpresa em muitos palmeirenses nesta quinta-feira ao postar em sua página oficial no Twitter que estava em negociações avançadas com o Palmeiras. Entretanto, tudo não passou de um grande mal-entendido e o jogador não tem qualquer relação com o time. 

"Essa história não existe. Falo com ele de cinco em cinco minutos e o Jobson me disse que foi mal-interpretado. Temos times sondando o Jobson, sim, mas o Palmeiras não está entre eles", garantiu o empresário do atleta, Antenor Joaquim, em entrevista ao Estado

O agente explica que Jobson ainda está na Arábia Saudita tentando rescindir seu contrato com o Al Ittihad e que conta com a ajuda de outro empresário, Diego Lemos, para deixar o mundo árabe. "Ele está rescindindo por lá. A foto que postou no Twitter é da conversa com esse agente, que o levou para lá".

No Palmeiras, ninguém confirma que exista sequer o interesse no jogador e os dirigentes acreditam que tudo isso possa ser uma forma de o atleta chamar a atenção para fazer com que o presidente Paulo Nobre o convoque para uma conversa e tente contratá-lo.

Segundo Antenor, Jobson pode definir seu futuro até o início da semana que vem e assegura que a tendência é ele retornar para o futebol brasileiro. "Acredito que até terça-feira ele já tenha definido seu novo clube. Como o mercado de fora fechou, ele deve acertar com alguma equipe brasileira, mas reafirmo que o Palmeiras não nos procurou em momento algum."

HISTÓRICO

Jobson é torcedor declarado do Palmeiras e tem um longo histórico de problemas. Em 2009, ele foi flagrado por duas vezes no exame antidoping por uso de cocaína, admitiu ser usuário da droga e foi suspenso por dois anos pelo STJD. Ele também voltou a ser notícia quando brigou com a mulher e sofreu um corte no braço. 

Quando estava no São Caetano, foi dispensado após faltar 15 dias aos treinamentos. O ex-atacante do Botafogo também já passou por Bahia, São Caetano, Atlético-MG, Grêmio Barueri, Brasiliense, Santa Maria-DF. Também jogou no futebol sul-coreano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.