Empresário forneceu passaporte falso

O empresário Jimmy Martins admitiu há pouco, na CPI da CBF/Nike, que forneceu ao ex-jogador Careca os passaportes falsos usados por Jeda e Dedé, ao custo de R$ 40 mil, depositados em sua conta no banco Santander em São Paulo. O deputado Dr Rosinha (PT-PR), disse, no entanto, que "o senhor Jimmy Martins mentiu pela primeira vez na CPI, porque a comissão está de posse de um documento fornecido por Careca, informando haver depositado esta quantia na agência número 73 do HSBC". Martins disse também, que não tinha conhecimento de que havia sido condenado no Brasil por crime de estelionato, segundo informações constantes na CPI. Acusado de usar o cartão de vistas do agente credenciado pela Fifa, Bernardo Chlaem, o empresário Martins disse que foi Chlaem quem pediu para imprimir no cartão de visitas os números dos telefones de Jimmy Martins no Brasil. Agora há pouco, o presidente da CPI, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), advertiu ao advogado Alberto Rollo, para que "não se manifeste enquanto o seu cliente estiver prestando depoimento". Rollo tentou responder a uma pergunta feita pelo Dr. Rosinha à Jimmy Martins.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.