Joca Duarte/Photo Press
Joca Duarte/Photo Press

Emprestado pelo Corinthians, Lucca joga por redenção na Ponte Preta

Atacante se tornou um dos pilares de Gilson Kleina ao aprender a marcar

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2017 | 07h00

A final do Paulistão significa uma redenção pessoal para o atacante Lucca. Depois de passar de titular de Tite a última opção ao longo de 2016 no Corinthians, ele se tornou uma das peças-chave do esquema da Ponte. Lucca foi titular com todos os técnicos que passaram pelo time (Felipe Moreira, João Brigatti e Kleina). Presente em 17 partidas, está entre os jogadores que mais atuaram. Além da constância, também tem sido importante taticamente.

Não foi fácil se adaptar ao esquema de Kleina, que exigia que ele recuasse para marcar quando o time perdesse a bola. Ele não entendia porque recuar tanto se era um atacante. “Resolvemos isso, explicando para ele como queríamos e como jogaríamos a partir dali”, disse o treinador após o empate por 3 a 3 diante do Santos André.

Do meio para a frente não foram necessários grandes ajustes. Lucca Borges de Brito se adaptou bem à vaga deixada por Felipe Azevedo no ataque. Logo na estreia, anotou o gol da vitória sobre a Ferroviária e ganhou confiança para ser protagonista. A parceira com Pottker também está rendendo: juntos, eles marcaram 19 dos 25 gols da Ponte Preta na temporada.

O empréstimo não foi uma decisão isolada do clube. Fábio Carille afirmou que gostaria de continuar com o atacante elétrico, rápido e dinâmico. O jogador preferiu sair depois de ser preterido até por Rildo, que acabou se transferindo. Entre os clubes que mostraram interesse – Vitória, Botafogo e Ponte Preta –, preferiu o último.

O empréstimo de Lucca, assim como o de Yago, foi definido quando os clubes acertaram a transferência de Pottker. Depois que os dois reforços chegaram a Campinas, o negócio desandou, pois Pottker foi escalado na Copa do Brasil e a direção corintiana cancelou o negócio. O contrato de Lucca com o Corinthians vai até 2019.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.