Bruno Haddad/Divulgação
Bruno Haddad/Divulgação

Enderson minimiza vaias a Ronaldinho após derrota do Fluminense

'É o preço pelo período de inatividade', diz técnico sobre oscilação

Estadão Conteúdo

31 de agosto de 2015 | 08h37

O Fluminense deixou a vitória escapar no Brasileirão, na noite de domingo. O time carioca foi superado pelo vice-líder Atlético-MG, em jogo com atuação irregular de Ronaldinho Gaúcho, maior aposta da equipe para a competição. O meia-atacante deixou o gramado sob vaias de parte da torcida. O jogador, contudo, ganhou a compreensão do técnico Enderson Moreira.

Para o treinador, a oscilação do craque é natural, em razão da falta de sequência de jogos nos últimos meses. "É o preço que se paga pelo período de inatividade. Estamos buscando o caminho, não é fácil. Futebol mundial é competitivo. Num primeiro instante, sequência de jogos. Depois, uma semana de preparação. Ele é talentoso, de extrema qualidade. Ele está correndo atrás e tem que pagar um preço por isso", ponderou.

O fraco desempenho de Ronaldinho teve peso decisivo para o Fluminense no domingo porque o time entrou em campo com muitos desfalques, sem Fred e Marcos Júnior, por exemplo. "Dor de cabeça constante, vários e vários desfalques. O Atlético não tinha nenhum jogador fora, uma situação que para nós não acontece há várias rodadas. Buscamos alternativas. Às vezes, funciona num jogo ou outro. Em virtude do que temos passado, contusões, cartões, saída do Marlon para a seleção (olímpica). Temos jogadores extremamente importantes que não participaram do jogo", lamentou o treinador.

As baixas foram compensadas em parte pelo retorno do meia Gerson. "Ele conseguiu jogar bem em 30, 35 minutos, mas não manteve o ritmo na reta final. É natural que sinta. A gente percebeu que ele foi bem ao longo da semana, percebemos isso no treino de sexta. É uma questão muito mais dele do que nossa. Foi uma questão dele de querer jogar. A gente conta com ele e sabe que vai nos ajudar muito", comentou Enderson.

Com o resultado, o Fluminense ocupa a sétima colocação da tabela, com 33 pontos, apenas um abaixo do Palmeiras, último time dentro do G-4 da classificação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.