Twitter / Goiás
Twitter / Goiás

Enderson Moreira é demitido pelo Goiás após 10 jogos e nenhuma vitória

Lanterna do Brasileirão, clube parte em busca do quarto técnico na temporada 2020

Redação, Estadão Conteúdo

17 de novembro de 2020 | 21h34

Enderson Moreira não é mais o técnico do Goiás. Amargando a lanterna do Brasileirão, o clube anunciou a demissão do treinador na noite desta terça-feira. Ele sai após dirigir a equipe por apenas 10 jogos e não somar nenhuma vitória.

O técnico foi anunciado pelo Goiás em 28 de setembro, para o lugar de Thiago Larghi, em uma troca que veio com o clube somando três partidas sem derrotas. Apesar da invencibilidade, os dirigentes não estavam satisfeitos com o futebol apresentado na época. Optaram pela maior experiência de Enderson e se deram mal. Com ele, foram somente três pontos somados em 30 possíveis. Um péssimo desempenho de somente 10% de aproveitamento. Foram sete derrotas e três empates.

"O Goiás Esporte Clube informa que, após reunião realizada nesta terça-feira, foi decidido que Enderson Moreira não seguirá no cargo de treinador da equipe de futebol profissional", divulgou o libe no começo da noite. "O Goiás agradece ao técnico e sua comissão pelos trabalhos prestados e pelo profissionalismo prestado ao longo de toda convivência no clube, e deseja sorte aos profissionais em projetos futuros."

Os dirigentes acenam que não buscarão um novo treinador. O Goiás soma 12 pontos, em situação complicada na briga contra o rebaixamento. "Para a continuidade da temporada, estarão à frente do time esmeraldino: Augusto César e Glauber Ramos, respectivamente técnico e auxiliar técnico do time sub-20 do Goiás."

Além de Enderson e Larghi, Ney Franco já passou pelo clube nesta temporada. O próximo desafio do time será frente ao Palmeiras no sábado, às 21 horas, no estádio da Serrinha. A intenção do clube esmeraldino é tentar uma reação nas próximas rodadas. Em caso negativo, iniciar o planejamento já pensando na Série B de 2021.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.