Divulgação
Divulgação

Endividado com o Fisco, Atlético-MG tenta liberar dinheiro pago por Bernard

Fazenda Nacional bloqueia montante por causa de dívidas tributárias do clube mineiro

O Estado de S. Paulo

13 de março de 2014 | 13h25

SÃO PAULO - O presidente do Atlético Mineiro, Alexandre Kallil, vai à Brasília tentar mais uma vez a liberação de R$ 54 milhões referentes a transferência de Bernard para o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, em junho de 2013, que teve como valor total a quantia de R$ 77 milhões. O dirigente se reúne com o Ministro Luís Adams, da Advocacia Geral da União (AGU), na próxima quinta-feira, dia 20 de março, na capital federal, em busca de acordo com o Governo.

Dos R$ 77 milhões pagos ao Atlético-MG, parte do dinheiro permanece bloqueada. O presidente Kallil deve apresentar ao Ministro os números referentes aos vencimentos e a renda do clube mineiro, buscando transparência fiscal em espécie de auditoria. Por causa de processos referentes ao ano de 1999, a situação piorou quando os valores bloqueados chegaram a R$ 72 milhões. No começo do ano, a sede administrativa do Atlético foi colocada em leilão em função de ações executadas referentes a acordos não cumpridos por dirigentes anteriores.

A 25ª vara da Justiça Federal de Belo Horizonte protocolou o procedimento, e no começo de março, o juiz federal titular da 26ª Vara da Seção Judiciária de Minas Gerais, André Gonçalves de Oliveira Salve, deferiu medida cautelar de arresto de R$ 18.434.383,19, referentes a outro processo de execução fiscal movido pela União Federal contra o clube.

Kalil precisa desse dinheiro da venda de Bernard para saldar e administrar as contas do clube. O Atlético-MG disputa o Estadual e a Copa Libertadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.