Enfezado, Luís Fabiano não poupa colegas

Luís Fabiano deixou o campo irritado com a atuação do São Paulo. O atacante, que teve algumas atitudes violentas na partida e foi merecidamente expulso, disse não estar "nem aí", se voltarem a chamá-lo de indisciplinado. Sua preocupação é com a queda de rendimento do time em decisões. "Se quiserem falar que sou violento, podem falar", avisou. "Quero é jogar bola e fazer o time vencer. Mas, se continuarmos assim, não vamos ganhar nada", declarou. "A gente só joga quando não precisa", lamentou. "Na hora de decidir, ninguém faz nada e perdemos sempre."O desabafo foi feito na saída de campo, quando Luís Fabiano passou perto da torcida do São Caetano e foi agraciado com copos de bebida e ofensas. Respondeu com uma "banana".Libertadores - Cuca tem medo que a derrota prejudique o rendimento do time no próximo jogo, quarta-feira, em Calama, contra o Cobreloa. "Isso me preocupa. É uma derrota que pode trazer desalento e apatia ao time. Temos de enfrentar isso. Assumo a maior parte da derrota e vamos trabalhar para reagrupar os jogadores em torno da nossa grande opção no semestre, que é a Libertadores."O treinador considerou o jogo equilibrado e disse que o São Caetano passou a ter grande domínio apenas após a expulsão de Fabão. E discorda de Luís Fabiano, que, disfarçadamente, chamou o time de pipoqueiro. "Ele saiu de cabeça quente. Não faltou dedicação e, quando se está perdendo por 1 a 0 ou 2 a 0, a raça não é a principal arma para virar."

Agencia Estado,

21 de março de 2004 | 20h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.