Enfim, Brasil conquista colombianos

Demorou mais de uma semana, passaram-se dois jogos e, enfim, a seleção brasileira começou a ser respeitada na Colômbia. A vitória contra o Paraguai por 3 a 1 e o bom futebol apresentado no segundo tempo renderam aplausos dos torcedores e os primeiros elogios da imprensa internacional, que voltou a apontar o time como o grande favorito para o título da Copa América. O atacante Denílson foi endeusado pelos colombianos por causa da excelente atuação e, como recompensa, teve de atender, hoje, a um batalhão de repórteres. A torcida que compareceu ao Pascual Guerrero gritou o nome da seleção tetracampeã do mundo durante todo o segundo tempo e, hoje, o assunto na cidade era a volta do bom futebol do time dirigido por Luiz Felipe Scolari. "Brasil venceu o Paraguai e, enfim, conseguiu mostrar bom futebol, tudo graças a Denílson", destacou o jornal El Tiempo. O Brasil estava sendo alvo de chacota até quarta-feira, antes do jogo contra os paraguaios. Na terça, o El País publicou que o Grupo B - Brasil, México, Peru e Paraguai -, que prometia muita emoção, decepcionava o público com partidas de péssimo nível. E ressaltou: "O grande responsável por isso é o Brasil, que de grande candidato ao título passou a ser o time que mais aborrece o torcedor e que provoca mais desencanto." Argentina é insuperável - Embora os primeiros elogios tenham chegado, os mais comedidos preferem não exaltar tanto o desempenho dos brasileiros na noite de quarta. Afinal, enfrentaram o time quase reserva do Paraguai. O técnico campeão do mundo com a Argentina em 1986, Carlos Billardo, que está comentando os jogos da competição para uma rede de televisão colombiana, disse que o Brasil melhorou, jogou bem durante aproximadamente 30 minutos contra o Paraguai, mas ainda precisa evoluir muito se quiser conquistar algo no futuro. "O Brasil tem bons jogadores, mas precisa de mais qualidade no meio-de-campo", analisou. Para ele, atualmente a Argentina é imbatível na América e pode ser superada por poucas equipes no mundo, como a França. Billardo acredita que os brasileiros estão muito abaixo de seus maiores rivais no futebol. "A Argentina está com sorte, a safra de jogadores é excelente; imagine uma seleção que tem um Riquelme e um Verón no banco."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.