Enfim, Frontini chegou na Ponte

Depois de quase um mês de negociações, chegou ao fim, nesta segunda-feira, a novela envolvendo a contratação do atacante Frontini pela Ponte Preta. O ex-atacante do Marília se apresentou à tarde no Majestoso, onde assinou contrato até o final do Campeonato Paulista, em maio de 2006. Segundo os dirigentes, a demora se deveu por dois motivos. Um deles o alto custo do seguro, exigido pelo Marília, em torno de US$ 1,5 milhão. O segundo porque havia a negociação em torno do percentual da Ponte em caso de um futuro negócio, fixado em 20%. Agora ele terá que brigar por uma camisa com o atual titular, Kahê, e com o recém-contratado Evando, vindo do Santos. No entanto, os meio-campistas Harison e Éverton, podem estar de saída para o União Leiria, de Portugal. Estes negócios não foram confirmados pela diretoria. "Pelo que sei, está tudo certo", confirmou Harison, que custaria US$ 1,5 milhão ao clube português. A Ponte já estaria atrás de outro meia e a preferência recai sobre Nenê, ex-São Bento e atualmente no Ceará. O técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão, ainda não começou a formatar o time para a próxima partida, contra Goiás-GO, em Campinas, sábado, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. No entanto, ele já sabe que não poderá contar com dois jogadores importantes: o zagueiro Rafael Santos e o volante Carlinhos. O primeiro recebeu o terceiro cartão amarelo, enquanto o segundo levou o vermelho, após uma entrada violenta no atacante Adriano Louzada, na vitória de 2 a 1, sobre o Cruzeiro, no último sábado, no Mineirão. Apesar de não confirmar, os prováveis substitutos serão Thiago Mathias, contratado há um mês junto ao Paulista de Jundiaí e o Luciano Santos, que até agora não conseguiu se firmar entre os titulares. Os campineiros ocupam a terceira posição do Campeonato Brasileiro com 14 pontos ganhos. O time de Campinas é o melhor do estado de São Paulo na classificação geral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.