Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Enfraquecido, Santos aposta em Sampaoli e Rodrygo por protagonismo no Paulistão

Alvinegro começa Estadual sem os reforços prometidos para técnico argentino

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

18 Janeiro 2019 | 04h30
Atualizado 22 Janeiro 2019 | 14h57

Após não brigar por qualquer título em 2018, o Santos decidiu apostar tudo em um nome de peso para voltar a ser protagonista no Campeonato Paulista: Jorge Sampaoli. O treinador argentino foi a contratação de impacto realizada pelo presidente José Carlos Peres para a temporada de 2019. E quase a única para o começo do Estadual.

Finalistas de todas as edições do Paulistão entre 2009 e 2016, o Santos não conseguiu exibir essa mesma força nas duas últimas temporadas. A equipe caiu nas quartas de final em 2017 e nas semifinais em 2018, sendo que este último desempenho foi um presságio do que seria o restante da temporada, com campanhas abaixo do peso histórico do clube.

Para 2019, a partir da impossibilidade de Cuca seguir na Vila Belmiro por problemas de saúde, o Santos fez uma das principais contratações do mercado ao anunciar em dezembro Jorge Sampaoli, um técnico que trabalhou nas duas últimas edições da Copa do Mundo, venceu uma Copa América pela seleção do Chile, faturou títulos pela Universidad de Chile e recentemente trabalhou no Sevilla, na Espanha.

O problema é que as ações do Santos não foram muito além disso no mercado. E o clube chega ao Paulistão enfraquecido por perdas expressivas, especialmente do lateral-esquerdo Dodô e do atacante Gabriel, que em 2018 foi artilheiro do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil, pois o empréstimo de ambos, cedidos por clubes italianos, chegou ao final com o encerramento da última temporada.

Até o início do Paulistão, o Santos só havia fechado a contratação de dois jogadores para a temporada: o meia-atacante venezuelano Yeferson Soltedo, que chamou a atenção de Jorge Sampaoli por seu desempenho no futebol chileno e, inclusive, recebeu a mítica camisa 10 em sua apresentação, além do zagueiro Felipe Aguilar, que estava atuando no Atlético nacional. E outros nomes devem chegar para a disputa do estadual.

Assim, o Santos que disputará o Paulistão deverá contar com o sotaque estrangeiro de nomes como Soltedo e Jorge Sampaoli, além de Carlos Sánchez e Derlis Gonzalez, remanescentes da temporada de 2018 e que deverão ser aproveitados pelo treinador argentino.

Mas as principais esperanças de levar a equipe a retomar o protagonismo no Paulistão de 2019 estarão depositadas em outro jogador, mais um "Menino da Vila": Rodrygo. Hoje com 18 anos, o atacante foi uma das revelações do futebol nacional na temporada passada com 12 gols marcados em 57 jogos.

O seu brilho em campo levou o Real Madrid a adquiri-lo antecipadamente para a temporada 2019/2020. O Paulistão é, portanto, a última chance de Rodrygo conquistar um título pelo Santos antes de se transferir para o gigante espanhol, começando a se provar como um nome que pode fazer história no futebol.

TIME-BASE

Vanderlei; Victor Ferraz, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Orinho; Alison, Diego Pituca e Carlos Sánchez; Yeferson Soltedo, Rodrygo e Bruno Henrique. Técnico: Jorge Sampaoli.

Para Entender

Guia do Paulistão 2019: tudo o que você precisa saber sobre a competição

Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo vão iniciar competição com menos de três semanas de pré-temporada

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.