Paul Ellis / AFP
Paul Ellis / AFP

Entenda como Jürgen Klopp transformou o Liverpool em um time imbatível na Inglaterra

Equipe virou uma máquina de triturar adversários: cinco jogos sem sofrer gol e um ano de invencibilidade no Campeonato Inglês

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

06 de janeiro de 2020 | 15h00

O Liverpool virou uma máquina de triturar adversários. A última vítima foi o Everton, domingo, na terceira fase da Copa da Inglaterra. Apesar de jogar com um time cheio de reservas, o Liverpool venceu por 1 a 0. Foi a sexta vitória seguida da equipe, que já soma cinco jogos consecutivos sem sofrer nenhum gol – o último foi no dia 18 de dezembro na semifinal do Mundial de Clubes, no Catar, marcado pelo argentino Rogelio Funes Mori, do Monterrey. O time mexicano acabou sendo derrotado por 2 a 1 pelo Liverpool, que três dias depois se sagrou campeão ao vencer o Flamengo por 1 a 0.

As marcas alcançadas pelo time comandado por Jürgen Klopp são incríveis. Na semana passada, diante do Sheffield United, o Liverpool chegou a um ano de invencibilidade no Campeonato Inglês. A última derrota foi para o Manchester City, no dia 3 de janeiro de 2019. A ótima campanha (19 vitórias e um empate) levou a equipe aos 58 pontos, 13 pontos de vantagem para o vice-líder Leicester, que tem uma partida a mais.

“Quem já jogou ou disputa a Premier League sabe como o campeonato é complicado e bem equilibrado. Alcançar essa marca de um ano sem perder é algo extraordinário. Desde os meus primeiros dias aqui no Liverpool, percebi que o nosso grupo era diferenciado. Todo mundo se dedica demais e nosso elenco é fantástico. Temos um treinador super competente e estou feliz por ter a oportunidade de viver esse momento de evolução e amadurecimento na carreira”, disse o goleiro Alisson.

O ex-treinador francês Arséne Wenger, que fez história do futebol inglês por ter comandado o time do Arsenal campeão invicto na temporada 2003-04, disse acreditar que o Liverpool pode igualar a façanha nesta temporada.  “Minha experiência de quando você passa a temporada inteira invicto é de que os jogadores acumularam a crença de que se continuarem a jogar eles irão vencer as partidas. Isso é muito difícil de ter no time porque você precisa de uma campanha especial para fazer e tirar o medo de perder do time. Isso é algo muito importante e eu acredito que eles (jogadores do Liverpool) têm isso no momento”, afirmou Wenger ao canal de TV BelN Sports.

Chama a atenção como Jürgen Klopp conseguiu montar um grupo coeso e forte. Contra o Everton, por exemplo, fez nove alterações em sua equipe, promovendo três garotos ao time titular. O gol da vitória foi marcado por Curtis Jones, de apenas 18 anos, revelado nas categorias de base do clube. Além de Jones, outros garotos que se destacaram na partida diante do Everton foram Neco Williams e Harvey Elliott.

O surgimento de novos talentos sem que o time diminua o ritmo ocorre em meio a uma série de lesões. O meia Naby Keita foi a último a se juntar à lista de atletas machucados, que incluem os zagueiros Joel Matip, Dejan Lovren e Nathaniel Clyne, os meias Xherdan Shaqiri e Fabinho e o atacante Rhian Brewster.

BRASILEIROS

O goleiro Alisson começou 2020 ganhando mais um troféu. O brasileiro foi vencedor da 11.ª edição do Samba de Ouro, prêmio dado pelo site “Sambafoot” ao melhor jogador brasileiro atuando na Europa. A votação contou com ex-jogadores, jornalistas e mais de 100 mil internautas. Alisson teve 35,54% dos votos, à frente de Roberto Firmino e do zagueiro Thiago Silva. Em 2019, Alisson já havia sido eleito o melhor goleiro do mundo pela Fifa, pela Uefa e pelo Globe Soccer Awards.

Na outra ponta do campo, quem se destaca é Roberto Firmino, que vive ótima fase. Não à toa, o atacante se tornou o brasileiro com mais gols na história do Campeonato Inglês, com 54, contra 52 de Diego Costa, brasileiro naturalizado espanhol que atuou pelo Chelsea (2014 a 2017). O terceiro colocado na lista de artilheiros é Philippe Coutinho, que marcou 41 vezes em sua passagem pelo Liverpool (2013 a 2017). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.