Andrej Isakovic/AFP
Andrej Isakovic/AFP

Entenda o que acontece após a Wada suspender a Rússia de competições

Atletas russos poderão competir nos Jogos? A pena afetará o futebol? Veja essas e outras respostas sobre o assunto

Victor Mather, New York Times

10 de dezembro de 2019 | 18h16

A Rússia foi banida de competições mundiais pelos próximos quatro anos pela WADA. Como muitas decisões, a que barra a Rússia de atividades esportivas internacionais levanta mais perguntas do que respostas. Por exemplo, a Rússia já foi impedida antes, mas seus atletas continuaram competindo. Qual a razão? O governo russo já avisou que irá recorrer da decisão, mas sabe que as chances de mudar a pena são pequenas. Alguns esclarecimentos:

Não haverá nenhum russo nas Olimpíadas?

Muito provavelmente centenas deles estarão nos Jogos de Verão em Tóquio, em 2020, e nos Jogos de Inverno em Pequim em 2022. A decisão de segunda-feira supõe que equipes russas estão barradas de grandes eventos internacionais, mas esta é apenas metade da história. Os atletas russos, desde que provem que não estão ligados ao programa de doping russo ou a qualquer um dos dados manipulados, podem ser convidados para eventos como participantes nos eventos em que equipes russas estão impedidas de participar.

Mas e a proibição?

Líderes globais antidoping concordaram por unanimidade em banir a Rússia - o país, o governo e o seu comitê olímpico - dos esportes internacionais. A Rússia e não os atletas russos. Deste modo, a bandeira russa, nome e hino, não serão permitidos nos Jogos de Verão de Tóquio e em outros eventos, mas atletas russos não implicados em doping podem competir.

Quer dizer que atletas russos individuais estarão lá, mas não equipes russas?

Não. As equipes também estarão presentes, mas seus uniformes não podem estampar a palavra “Rússia”. Mas uma equipe de ginastas russos, ou de jogadores de handebol, serão um time russo, mas não no nome. Não sabemos ainda que sigla criarão. A Rússia também foi barrada dos Jogos de Inverno de Pyeongchang em 2018, mas sua equipe de hóquei masculino participou com o nome de Atletas Olímpicos da Rússia, ou OAR. E conquistou a medalha de ouro.

Existem outras consequências?

Autoridades do governo e esportivas da Rússia não participarão das cerimônias dos Jogos Olímpicos e a Rússia não pode hospedar eventos internacionais durante o tempo da proibição, mas há exceções.

E quanto ao Euro 2020 ou a Copa do Mundo em 2022?

A Rússia é um dos vários países a acolher o torneio da Eurocopa 2020. Mas como se trata de um evento continental, e não um campeonato mundial, ou aberto a atletas do mundo todo, neste caso a proibição não se aplica. Quanto ao Catar em 2022, a Rússia poderá competir nos jogos de qualificação para a Copa do Mundo como seria normal. No caso de avançar para o torneio final no Catar, a equipe não poderá usar o emblema que a identifica como russa E o hino russo não será tocado antes dos jogos.

O que não parece exatamente uma proibição

Algumas autoridades internacionais do atletismo concordam. “Não estou satisfeito com a decisão tomada”, disse Linda Helleland, da Noruega, vice-presidente da Agência Mundial Antidoping, organização encarregada de investigar e decidir a proibição. “Ela foi o máximo a que pudemos chegar”. Travis T. Tygart, diretor executivo da agência disse que: “permitir que Rússia escape de uma proibição completa é mais um golpe devastador para atletas limpos, a integridade do esporte e as normas legais”.

A Rússia acha que o dano foi pequeno?

O primeiro ministro Dmitry Medvedev afirmou que as penas “eram continuação de uma histeria anti-Russia,” portanto possivelmente não. Esta é a terceira Olimpíada consecutiva que a Rússia compete sob uma nuvem de acusações de doping.

Sem a bandeira ou o hino da Rússia, o que sucede quando medalhas são outorgadas, e na cerimônia de abertura?

A Rússia estará na cerimônia de abertura atrás da bandeira olímpica, como ocorreu em Pyeongchang, na Coreia do Sul. Quando um atleta russo conquistar uma medalha de ouro, a bandeira olímpica será cada e o hino olímpico tocado.

Como foi em Pyeongchang em 2018?

A Rússia enviou 168 atletas, não muito menos do que os 177 enviados a Vancouver em 2010. Os atletas russos ficaram na maior parte do tempo calados, mas os fãs cantaram músicas folclóricas russas e usaram abrigos com mensagens como “Rússia no meu coração”. A Rússia conquistou 17 medalhes, duas de ouro.

O que a Rússia fez de errado?

Em primeiro lugar as autoridades concluíram que o país manteve um programa de doping bancado pelo Estado e colocou em prática um esquema fraudulento nos Jogos de Inverno de 2014 em Sochi. Isto levou alguns atletas a serem barrados dos Jogos de Verão de 2016 e a proibição de o país participar dos Jogos de Inverno de 2018. A Rússia depois foi reinserida com a condição de entregar dados relativos ao doping. Mas foi verificado que arquivos cruciais desses dados foram deletados ou manipulados, o que acarretou a nova punição.

Então quem enganou?

A dissimulação de dados foi tão grande que bancos de dados inteiros, especialmente os conhecidos como dados brutos, ficaram comprometidos de tal modo que nunca conheceremos realmente as identidades em uma grande quantidade de fraudes cometidas. As medalhas olímpicas talvez não sejam jamais recuperadas e os reais vencedores de campeonatos importantes poderão nunca conseguir celebrar suas vitórias. Segundo a Agência Antidoping 145 casos suspeitos foram impactados e esse número pode aumentar de modo significativo.

Por que não houve uma proibição total?

Figuras do esporte internacional, como o presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach, exerceram pressão para não se adotar uma medida mais dura. Autoridades da agência antidoping insistiram no sentido de um equilíbrio entre atingir duramente a Rússia, mas também proteger uma nova geração de atletas que não recorrem ao doping - palavras e sentimentos expressados por Bach desde o início do escândalo. O COI contribui com a metade do orçamento da agência e tem vários membros na sua diretoria.

A Rússia pode entrar com recurso?

Sim, para o Tribunal Arbitral do Esporte. E deve fazê-lo. O governo russo há muito tempo insiste que o que ocorreu foi obra de autoridades de doping renegadas e que nada foi patrocinado pelo Estado. /Tradução de Terezinha Martino

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.