Entenda os capítulos e as reviravoltas da novela Nilmar

Nilmar foi contratado pelo Corinthians em agosto de 2005, por empréstimo de um ano junto ao Lyon, da França, com direitos federativos fixados em 10 milhões de euros. A um mês do fim do compromisso, o jogador rompeu o ligamento cruzado do joelho direito no clássico contra o Palmeiras, pelo Campeonato Brasileiro. Operado, ele recebeu a notícia de que só voltaria aos campos em 2007. Àquela altura, o MSI já havia pago 2 milhões de euros do valor pedido pelo Lyon. Mas, depois da contusão, a parceira corintiana não liquidou a compra do jogador, tampouco posicionou-se sobre o assunto. Por força de acidente de trabalho, o contrato de Nilmar com o Corinthians foi prorrogado automaticamente até o final de dezembro. No entanto, o clube garante que tem um documento que prova que o jogador assinou um novo acordo até o término desta temporada. A princípio, o advogado de Nilmar, Breno Tannuri, negou e disse que o jogador está liberado tanto do Corinthians como do Lyon. Além disso, reclamou do atraso no pagamento de luvas e salários por parte do clube de Parque São Jorge. No entanto, descartou cassar a liminar e optou por esperar a decisão da Fifa, que poderá sair no dia 20 deste mês. Com isso, Nilmar reapresentou-se normalmente ao técnico Emerson Leão no dia 3 de janeiro e viajou com o grupo para Jarinu, local da pré-temporada. Na última semana, Tannuri e o procurador do atleta, Orlando da Hora, reuniram-se várias vezes com Heraldo Panhoca, consultor para assuntos jurídicos do clube, Renato Duprat, representante informal da MSI, e o presidente Alberto Dualib. Da Hora chegou a garantir, inclusive, que Nilmar jogaria no Corinthians em 2007. Mas, como se vê, nada foi acertado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.