Entusiasmo move o líder Palmeiras contra o Atlético-PR

Dobrar a vantagem e colocar pressão nos principais adversários ao título do Campeonato Brasileiro. Ao entrar no Palestra Itália neste sábado, às 18h30, para enfrentar o Atlético Paranaense, pela 26.ª rodada, o Palmeiras vai ter de driblar o cansaço e superar os vários desfalques para atingir os seus objetivos.

DANIEL AKSTEIN BATISTA, Agencia Estado

26 de setembro de 2009 | 08h32

A empolgação é o principal combustível que move o time de Muricy Ramalho. A vitória sobre o Cruzeiro, em Belo Horizonte, na última quarta-feira, foi bastante comemorada. Não só por ter aumentado a diferença para o segundo colocado, o São Paulo, para três pontos, mas também pelo o que aconteceu no jogo: os donos da casa atuaram com um mais praticamente em toda a segunda etapa e sempre no ataque.

Com muita garra e uma defesa que soube se portar bem, os paulistas conseguiram segurar a pressão cruzeirense. "Tem de sofrer um pouco para ter sucesso", disse o treinador. "Tem jogos que não dá para dar espetáculo. Mas acreditamos no momento que estamos passando e os jogadores estão confiantes".

Se vencer neste sábado, o Palmeiras abre seis pontos sobre o rival paulista e sete sobre o Internacional. Os dois jogam apenas no domingo e, caso a diferença seja esta, vão entrar pressionados pelo triunfo. O trunfo está em mãos alviverdes, invertendo a cena da semana passada.

A rodada anterior foi perfeita para o Palmeiras: Internacional e São Paulo tropeçaram no fim de semana e a vitória chegou em Belo Horizonte. Por ter jogado na quarta, a diretoria palestrina pediu o adiamento do jogo contra o Atlético para domingo ou durante a próxima semana. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não aceitou. Com pouco descanso e apenas um treino entre uma partida e outra, é novamente hora de ir a campo. Com vários problemas.

Muricy Ramalho viu-se obrigado novamente a mudar o time. Expulso no Mineirão, o lateral-esquerdo colombiano Armero é apenas um dos desfalques. O lateral-direito Wendel (machucado), o meia Cleiton Xavier (suspenso) e o zagueiro Danilo, que tem no seu contrato uma cláusula que o proíbe de enfrentar a ex-equipe, também não jogam.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato BrasileiroPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.