Envolvidos em apostas, jogadores são detidos na Turquia

A Polícia da Turquia deteve nada menos que 77 pessoas, entre elas nove jogadores, sob a acusação de envolvimento com uma rede de apostas ilegais, informou hoje a imprensa local.

EFE,

22 de fevereiro de 2010 | 14h19

A operação começou no último dia 18 e incluiu operações policiais em 13 províncias, a maioria delas na parte leste - também foram feitas buscas em Istambul, capital do país. A Justiça vinha acompanhando o esquema há oito meses.

Entre os detidos há alguns jogadores do Gaziantepspor, atual décimo colocado do Campeonato Turco, e o treinador do modesto Mardinspor, da terceira divisão. Além disso, foram congelados os fundos bancários de 25 dos acusados.

Segundo a agência de notícias estatal "Anadolu", a rede teria influenciado nos resultados de diferentes partidas. A Justiça da cidade alemã de Bochum, que atualmente investiga um escândalo de apostas ilegais em toda a Europa, afirma que pelo menos 29 jogos foram arranjados de diversas formas.

De acordo com as autoridades do setor de apostas, estas redes ilegais teriam transferido mais de US$ 1 bilhão ao exterior.

O conselheiro legal da federação turca de futebol, Ömer Bedük, agradeceu o esforço das autoridades e afirmou que as redes de apostas ilegais são "o câncer do futebol turco".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolGaziantepsporMardinspor

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.