Equador lamenta falta de sorte contra o Brasil

A seleção equatoriana não contou com a sorte contra o Brasil no domingo, conseguindo apenas empatar no fim do jogo apesar de ter dominado a partida, disse nesta segunda-feira a imprensa local.

REUTERS

30 de março de 2009 | 12h42

O Equador só empatou por 1 x 1 nos minutos finais de uma partida em que criou diversas chances de marcar nos dois tempos mas esbarrou em defesas incríveis do goleiro Julio César.

"Que má sorte!" e "Tri: domingo amargo" foram algumas das manchetes dos principais jornais do país andino, cuja seleção tricolor é chamada de "Tri" pelos torcedores.

A estratégia usada pela seleção em uma partida-chave para suas aspirações de classificação pela terceira vez consecutiva para um Mundial foi elogiada pelos jornais, que, no entanto, lamentaram a falta de pontaria dos atacantes.

Sem aproveitar as chances, o Equador acabou punido com um gol de Júlio Baptista, no segundo tempo, numa das poucas oportunidades criadas pelo Brasil

"A seleção foi melhor que os pentacampeões mundiais, mas sofreu com a falta de definição e se conformou com um empate", disse o jornal El Comercio, em uma de suas crônicas.

"A Tricolor poderia fazer 10 gols, mas perdoou o Brasil", acrescentou o jornal, que classificou o resultado de "agonizante e triste".

Com o resultado, o Equador ficou em sétimo lugar na tabela das eliminatórias, com 13 pontos, o que complica suas chances de classificação para a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul.

(Reportagem de Alexandra Valencia)

Mais conteúdo sobre:
FUTEQUADORBRASILEMPATE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.