Lluis Gene/ AFP
Lluis Gene/ AFP

Equador quer candidatura conjunta com Colômbia e Peru para receber a Copa de 2030

Seria a segunda proposta de federações da Conmebol, que já tem Uruguai, Chile, Argentina e Paraguai unidos para serem a sede do Mundial

Redação, Estadão Conteúdo

08 de setembro de 2019 | 17h14

Em sua conta no Twitter, o presidente equatoriano Lenin Moreno anunciou, neste fim de semana, que propôs aos líderes de Colômbia, Iván Duque, e Peru, Martín Vizcarra, uma candidatura conjunta entre os países para a Copa do Mundo de 2030.

A proposta equatoriana rivalizaria com a indicação da Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai, que conta com o apoio da Conmebol, e há alguns meses já vem apresentando medidas concretas para viabilizar sua candidatura ao Mundial daquele ano.

O mandatário equatoriano, que se encontrou com Duke e Vizcarra na última sexta-feira na cidade colombiana de Letícia para discutir maneiras de aumentar a proteção à floresta amazônica, entretanto, não mencionou como sua iniciativa foi recebida por seus colegas sul-americanos.

Em uma declaração publicada separadamente, o governo de Moreno ofereceu, sem dar mais detalhes, "Todo o apoio à Federação Equatoriana de Futebol e a seu presidente Francisco Egas para alcançar este objetivo!".

Enquanto isso, o jornal equatoriano El Comercio publicou, neste domingo, que a possível sede conjunta da América do Sul tem boas possibilidades, em parte, porque, de acordo com a Fifa, para a 24.ª edição da Copa do Mundo, em 2030, "a Confederação da América do Norte, América Central e Caribe de Futebol (Concacaf) não pode se candidatar, pois já vai sediar a Copa do Mundo de 2026 na América do Norte" - Estados Unidos, México e Canadá realizarão o evento.

A candidatura oficial de Argentina, Paraguai e Uruguai foi lançada em junho, no Chile. Anteriormente, os países já haviam definido as cidades-sede para abrigar a competição e criaram um comitê executivo responsável pelo torneio, no caso de a campanha tornar-se bem-sucedida.

Espanha e Portugal também já informaram que têm estudado a possibilidade de apresentar uma candidatura conjunta para sediar a Copa do Mundo de 2030, ocasião em que o torneio entre seleções completará um século de sua primeira edição, realizada no Uruguai.

Os vencedores desta luta para sediar a Copa do Mundo de 2030 serão anunciados durante o Congresso da Fifa no Catar, pouco antes do Mundial de 2022.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.