Equilíbrio marca confronto entre Brasil e Holanda

O jogo entre Brasil e Holanda, que acontece na próxima sexta-feira, às 11 horas (horário de Brasília), é sem dúvida clássico cheio de história, embora somente uma equipe tenha ganhado a Copa do Mundo. Apesar de nunca terem sido campeões, os holandeses já somam 20 vitórias em Copas (apenas a Espanha iguala a marca sem ter levantado a taça). Já a seleção brasileira é pentacampeã mundial.

AE, Agência Estado

29 de junho de 2010 | 10h43

Brasileiros e holandeses possuem uma história de grandes jogos na Copa do Mundo, com uma pequena vantagem para os sul-americanos. Se a história do confronto fosse um jogo, daria para dizer que a seleção vence nos pênaltis. Foram três jogos em Mundiais, com um triunfo para cada lado e um empate, com quatro feitos pelo Brasil e cinco pela Holanda.

O primeiro jogo aconteceu na segunda fase da Copa de 1974, e os holandeses venceram por 2 a 0, resultado que tirou as chances do Brasil de chegar à final. Os holandeses foram à decisão, e perderam para a Alemanha.

O segundo confronto foi em 1994. Nas quartas de final da Copa dos Estados Unidos, o Brasil venceu por 3 a 2, com um gol memorável de Branco de falta no segundo tempo, depois de a seleção abrir dois gols de vantagem e sofrer o empate. Todos os gols saíram em uma emocionante etapa final.

O último duelo foi na Copa do Mundo de 1998, na França. Na semifinal, os brasileiros asseguravam a vitória até os minutos finais quando os holandeses conseguiram o empate por 1 a 1. A passagem à decisão veio nos pênaltis, com um triunfo por 4 a 2, com destaque para Taffarel, que defendeu duas cobranças.

Segundo a Fifa, Brasil e Holanda disputaram nove partidas. Com três vitórias brasileiras, quatro empates e duas derrotas. O confronto também registra uma elevada média de gols, de três por partida, sendo 14 dos brasileiros e 13 dos holandeses. O último embate foi em 1999, em um amistoso em Amsterdã, que terminou empatado em 2 a 2.

Nesta Copa, Brasil e Holanda apresentam números parecidos. Apesar de serem os únicos com 100% de aproveitamento, ao lado da Argentina, os holandeses marcaram menos gols que os brasileiros (7 a 8), mas chutaram mais (29 a 27) e também sofreram mais faltas (65 a 59).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.