Neil Hall/EFE
Neil Hall/EFE

Eriksen entra no segundo tempo e decide em vitória do Tottenham contra o Burnley

Normalmente titular, meia dinamarquês garante triunfo por 1 a 0 já nos acréscimos

Estadão Conteúdo

15 de dezembro de 2018 | 15h26

O Tottenham sofreu, mas venceu o Burnley por 1 a 0, em Wembley, em Londres, pela 17ª rodada do Campeonato Inglês, neste sábado. O gol da vitória saiu só aos 45 minutos do segundo tempo, quando o dinamarquês Christian Eriksen invadiu a área pelo lado esquerdo e fuzilou o gol adversário.

Apesar de dominar a posse de bola e finalizar mais, o Tottenham esbarrou na má pontaria de seus jogadores e no goleiro inglês Joe Hart, que fez quatro defesas na partida. O técnico Mauricio Pochettino, que optou por poupar os titulares Son e Eriksen, colocou a dupla no segundo tempo, nos respectivos lugares de Oliver Skipp e Lucas Moura, para tentar conseguir a vitória.

O meia dinamarquês marcou o gol, mas ele pode dividir os méritos com o centroavante Harry Kane. O inglês recebeu bola dentro da área, fez o pivô e rolou para Eriksen, que usou a chapa do pé direito para chutar de primeira, no canto de Hart. O goleiro demorou para reagir e não conseguiu fazer a defesa.

Com a vitória, o Tottenham foi a 39 pontos após 17 jogos, garantindo-se como terceiro colocado do torneio até o fim desta rodada. O próximo compromisso pelo Campeonato Inglês será no domingo da semana que vem, fora de casa, contra o Everton. O time de Londres vai fazer um clássico nesta quarta-feira, fora de casa, contra o Arsenal, pelas quartas de final da Copa da Liga Inglesa.

Também neste sábado, o Crystal Palace jogou em casa e venceu o Leicester por 1 a 0; fora de casa, o Newcastle bateu o Huddersfield por 1 a 0; o Watford aproveitou o mando de campo e superou o Cardiff por 3 a 2; o Wolverhampton, em casa, ganhou do Bournemouth por 2 a 0.

O Burnley, 17ª colocado no Campeonato Inglês, tem 12 pontos ganhos e segue na briga contra o rebaixamento. No próximo sábado, o time será visitante de novo, contra o Arsenal.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.