Ivan Sekretarev/AP
Ivan Sekretarev/AP

Eriksson lamenta 'pequenos erros' da Costa do Marfim e elogia Brasil

Técnico sueco diz que 'se você comete um erro contra os brasileiros, eles não perdoam'

ANDRÉ CARDOSO, Agência Estado

20 de junho de 2010 | 20h02

Técnico da Costa do Marfim, o sueco Sven-Goran Eriksson admitiu a superioridade da seleção brasileira na vitória por 3 a 1, neste domingo, 20, no Estádio Soccer City, em Johannesburgo. Segundo ele, seu time cometeu "pequenos erros" na partida, que foram fatais.

Veja também:

lista RAIO-X - Os números da partida

linkKaká nega agressão e pede punição

linkDunga critica árbitro e vê maturidade

linkMédicos minimizam lesão e Elano

linkLuis Fabiano festeja fim de jejum

mais imagens GALERIA - Imagens do jogo do Brasil

especial CRONOLOGIA: Copa, dia a dia

tabela TABELA - Jogos | Classificação | Simulador | 

"Para vencer o Brasil, você tem que ser quase perfeito. E nós tivemos pequenos erros. Se você comete um erro contra os brasileiros, eles não perdoam", reconheceu Eriksson, visivelmente frustrado com o resultado do jogo deste domingo. "Foi uma pena ter perdido."

Eriksson também fez questão de elogiar a equipe de Dunga. "O Brasil é muito forte. É um time com qualidade, que se defende muito bem", disse o técnico, que minimizou as críticas brasileiras ao árbitro da partida. "Eles não têm do que reclamar."

Durante a entrevista coletiva, logo depois do jogo, Eriksson mostrou preocupação com a situação de Elano, que saiu de campo machucado. Ele chegou a perguntar aos jornalistas brasileiros que estavam na sala de imprensa sobre a gravidade da lesão.

"Sinto muito por Elano", afirmou Eriksson, ainda sem saber que a contusão não é tão grave quanto aparentava. Ele, inclusive, já foi treinador do meia brasileiro quando ambos estavam no Manchester City, da Inglaterra.

Agora, com a derrota para o já classificado Brasil, a Costa do Marfim depende do resultado da última rodada, quando enfrentará a Coreia do Norte, na sexta-feira, para se classificar. Antes disso, porém, torce por um tropeço de Portugal contra os norte-coreanos, nesta segunda.

"Nosso futuro depende muito do que vai acontecer amanhã (segunda-feira), entre Portugal e Coreia do Norte", revelou Eriksson, consciente de que a Costa do Marfim precisará de uma combinação de resultados para conseguir a vaga nas oitavas de final.

 

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.