Vítor Silva/ Botafogo FR
Vítor Silva/ Botafogo FR

Erison decide, e Botafogo derrota Ceará pelo Brasileirão com Luís Castro à beira do campo

Victor Sá também deixa o seu na Arena Castelão e ajuda equipe carioca a vencer sua primeira partida após o retorno à elite

Felipe Rosa Mendes, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2022 | 21h08

Com atuação decisiva de Erison, o Botafogo derrubou o Ceará por 3 a 1, na Arena Castelão, em Fortaleza, na noite deste domingo. O atacante marcou duas vezes e garantiu a primeira vitória da equipe carioca em seu retorno à Série A do Campeonato Brasileiro, justamente na estreia do técnico português Luís Castro.

Contratado no fim do mês passado, o técnico ainda não havia comandado a equipe botafoguense do banco de reservas por questões burocráticas. Ele obteve o visto de trabalho somente nos últimos dias, permitindo a atuação direta no comando da equipe num jogo do Brasileirão.

O resultado desta noite foi celebrado pelo Botafogo por conta da fraca estreia no campeonato, com derrota para o Corinthians em casa. E também porque o Ceará foi a grande sensação da rodada de abertura, por ter vencido com autoridade o Palmeiras, bicampeão da Copa Libertadores, em São Paulo.

O time carioca somou seus primeiros pontos na tabela, enquanto o Ceará amargou seu primeiro tropeço no castigado gramado da Arena Castelão.

Depois de levar três gols do Corinthians na estreia, o Botafogo quase começou o duelo deste domingo vendo suas redes balançar mais uma vez. Logo no primeiro minuto, Lima escorou de cabeça para o gol. A arbitragem, contudo, anulou o lance de forma equivocada por considerar que a bola havia saído pela linha lateral no cruzamento que gerou a cabeçada certeira.

Passado o susto, o Botafogo passou a buscar o ataque em investidas pontuais, mas perigosas. Em rápida jogada pela esquerda, Erison encontrou Victor Sá dentro da área e o atacante não perdoou, aos 17. Bateu cruzado e viu a bola entrar, apesar da tentativa frustrada da zaga de evitar o gol.

O Ceará só respondeu aos 35, quando enfim "entrou" no jogo. Zé Roberto acertou forte cabeçada, que passou rente ao travessão. O lance incendiou as arquibancadas e assustou o time carioca. Três minutos depois, Mendoza bateu da marca do pênalti, que acertou no meio do gol, facilitando a defesa de Diego Loureiro.

A esta altura, o time da casa controlava a posse de bola, dominava o jogo e parecia cada vez mais perto do empate. Do outro lado, o Botafogo tinha dificuldade na saída de bola. Patrick de Paula, Luís Oyama e Chay não se comunicavam bem e o meio-campo era praticamente todo dos anfitriões.

Mais concentrado, o Ceará chegou ao empate aos 42. Nino Paraíba cruzou da direita, a defesa botafoguense desviou e a bola sobrou para Lima, que bateu de primeira e não deu chances a Diego Loureiro. Dois minutos depois, Mendoza e Geovane quase anotaram o gol da virada do Ceará.

Depois do fraco primeiro tempo, o Botafogo voltou mais atento em cada setor do time. Luís Castro postou a equipe mais à frente e a equipe carioca correspondeu. Aos 9, Erison mandou para gol, mas o lance foi anulado por impedimento. O atacante não desanimou e, cinco minutos depois, colocou os visitantes novamente na frente. Após cobrança de falta na área, ele marcou de cabeça.

Desta vez, o Ceará não conseguiu impor a reação exibida no primeiro tempo. Cansado, o time da casa passou a ser neutralizado com facilidade pela marcação carioca. E, para piorar, Luiz Otávio fez falta em Romildo dentro da área, aos 31. O árbitro confirmou o pênalti e Erison acertou o canto para ampliar a vantagem dos visitantes.

Os minutos finais da partida foram um duelo franco entre o ataque cearense e a defesa do time carioca. Recuado, o Botafogo não teve maiores dificuldades para assegurar a vitória.

FICHA TÉCNICA:

CEARÁ 1 X 3 BOTAFOGO

CEARÁ - João Ricardo; Nino Paraíba, Messias, Luiz Otávio e Bruno Pacheco (Kelvyn); Richard (Léo Rafael), Rodrigo Lindoso (Erick), Richardson (Geovane), Lima; Zé Roberto (Cléber) e Mendoza. Técnico: Dorival Júnior.

BOTAFOGO - Diego Loureiro; Saravia, Philipe Sampaio, Kanu e Daniel Borges; Patrick de Paula (Kayque), Luís Oyama (Barreto) e Chay (Romildo); Diego Gonçalves (Vinícius Lopes), Erison (Lucas Piazon) e Victor Sá. Técnico: Luís Castro.

GOLS - Victor Sá, aos 17, e Lima, aos 42 minutos do primeiro tempo. Erison, aos 14 e aos 34 (pênalti) minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Chay, Diego Loureiro, Bruno Pacheco, Kayque, Saravia.

CARTÃO VERMELHO - Lima.

ÁRBITRO - Raphael Claus (SP).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Arena Castelão, em Fortaleza (CE).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.