Montagem/Estadão
Montagem/Estadão

Errata: Escritório advogou para o São Paulo até 2014

Em retificação ao Estado, clube corrige informação de reportagem

O Estado de S. Paulo

05 de janeiro de 2016 | 07h00

O São Paulo retificou informação publicada nesta segunda-feira do Estado acerca do requerimento para uma apuração interna sobre o possível conflito de interesses na atuação de dois dirigentes. O clube diz que o escritório de advocacia do qual foram sócios o vice de marketing José Francisco Manssur e o diretor executivo de futebol Gustavo Oliveira, prestou serviços ao São Paulo entre 2008 e 2014. A reportagem erroneamente dizia que o São Paulo havia informado que o escritório não havia trabalhado para o clube.

Os dois dirigentes são citados em requerimento entregue pelo sócio José Marcelo Previtalli ao Conselho Deliberativo em dezembro. O material, obtido pelo Estado, afirma que a dupla foi sócia de um escritório de advocacia entre 2008 e 2013. Um dos clientes da empresa foi o empresário Eduardo Uram, responsável por agenciar pelo menos dez jogadores que atuaram pelo clube nas últimas três temporadas.

O material do requerimento questiona um possível conflito de interesses na atuação dos dois entre 2011 e 2014. Nesse período, Manssur atuou como assessor especial da presidência de Juvenal Juvêncio. Já Oliveira, deixou o escritório em agosto de 2013, quando assumiu o cargo de diretor de futebol do clube pela primeira vez.

Segundo o conteúdo do requerimento, entre dezembro de 2011 e abril de 2014 o São Paulo pagou R$ 15,9 milhões em contratações para o Tombense, equipe que tem Uram como um dos principais investidores e que registra os jogadores agenciados por ele. O material foi recebido pelo presidente do Conselho Deliberativo, Marcelo Pupo Barboza, que repassou à comissão de auditoria.

Antes da entrega, porém, o São Paulo havia determinado a auditoria interna de todos os contratos nos últimos cinco anos. Em retificação entregue ao Estado, o clube explicou que o escritório prestou serviços jurídicos à diretoria entre 2008 e 2014. A empresa advocatícia foi contratada por Uram em junho de 2012 para cuidar de varios processos e não de negociações.

Na última reunião do Conselho Deliberativo, Manssur entregou voluntariamente suas declarações de Imposto de Renda e notas emitidas pelo escritório para ajudar na apuração. Na ocasião, o vice de marketing discursou e explicou o caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.