Escalação causa susto em Luís Fabiano

Luís Fabiano acordou cedo nesta segunda-feira na Granja Comary. Acompanhou, pela tevê, a vitória de Guga contra o espanhol Feliciano Lopez no Torneio Roland Garros. Desceu para o campo de treinos e foi informado por Carlos Alberto Parreira que seria o titular da seleção brasileira para o jogo desta quarta-feira contra a Argentina em Belo Horizonte. "Levei um susto", disse o atacante do São Paulo. Luís Fabiano ocupa a vaga de Ronaldinho Gaúcho que, ao lado de Luisão, foram cortados da seleção nesta segunda. Os dois sofreram lesões musculares nos treinos de domingo."É difícil entrar no lugar de um jogador tão importante como o Ronaldinho Gáucho. Fiquei triste por ele e feliz com a chance que vou ter de começar o jogo. Isso faz parte do futebol", contou Luís Fabiano, depois de ter sido confirmado titular ao lado de Ronaldo. "Agora no campo é comigo." Quando foi dormir na noite de domingo, o atacante do São Paulo não imaginava que entraria jogando contra os argentinos. Sabia sim dos problemas de Ronaldinho Gaúcho, mas pensou que não eram tão graves. "Acordei, vi o Guga jogar e vibrei com a vitória dele. Sou fã do Guga. Pensei comigo que o dia iria ser bom. Quando fomos para o campo treinar, o Parreira escalou o time e disse que eu seria o titular. Levei um susto." Luís Fabiano treinou ao lado do Fenômeno por 30 minutos. E os dois quase não trocaram bolas. Em jogo para valer, Luís Fabiano atuou apenas por 21 minutos com Ronaldo - 10 contra o Paraguai e 11 contra o Peru, pelas Eliminatórias de 2006. A falta de entrosamento ele pretende compensar com muita movimentação. "Não é um sacríficio, nem vou fugir do meu estilo, do meu jeito de jogar no São Paulo. Vou me movimentar muito para puxar os zagueiros e abrir espaços para o Ronaldo meter os gols. No São Paulo eu também caio pelos lados para abrir espaços para os meias. Não vai ser um sacrifício." Carlos Alberto Parreira pediu para Luís Fabiano correr muito, não ficar preso entre os zagueiros. O técnico da seleção tem plena confiança no futebol do atacante e espera, ou melhor reza, para o artilheiro não perder o equilíbrio emocional. "A gente sabe que ele tem o pavio curto. Mas o Luís Fabiano melhorou muito. Trabalhou com a psicóloga Regina Brandão e de um tempo para cá não tem provocado nenhum grande problema para o São Paulo. Nós, da comissão técnica, vamos conversar com ele para que se preocupe apenas em jogar futebol e não entrar na possível catimba dos argentinos." O atacante garantiu nesta segunda que vai ter um bom comportamento em campo. "Joguei muito contra os argentinos na Libertadores e não levei nenhum cartão. Eles podem até me provocar mas não vão me atrapalhar em nada." Tudo o que Luís Fabiano mais quer na partida é marcar pelo menos um gol. Ele sabe que terá de jogar muito em função de Ronaldo. E espera ser recompensado. "Sei que vou jogar para ele chegar na cara do gol livre dos zagueiros. Mas ele também sabe colocar a gente na cara do gol. Quem sabe não me deixa na cara do goleiro?" Essa também é a expectativa de Carlos Alberto Parreira. Com Luís Fabiano e o Fenômeno na linha de frente, o técnico imagina que sobrecarregará a defesa dos argentinos. "Sempre falei que gosto de ter dois pontas-de-lança no time. Aumenta nosso poder de fogo. Teremos os dois ali entre os três zagueiros argentinos. Eles vão dar um trabalhão para os zagueiros." Luís Fabiano tem 23 anos. Na seleção brasileira foi convocado 13 vezes, disputou quatro jogos e marcou três gols.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.