Divulgação
Divulgação

Escalação de Pato é a dúvida de Muricy no São Paulo

Atacante estreia na quarta, mas técnico ainda não definiu em que função

Fenando Faro, O Estado de S. Paulo

11 de março de 2014 | 05h00

SÃO PAULO - A iminente estreia de Alexandre Pato pelo São Paulo coloca uma dúvida na cabeça de Muricy Ramalho: quem sairá do time? O treinador já avisou que Pato iniciará a partida, mas não quis confirmar quem será o escolhido para ficar no banco. "Na hora eu dou um jeito, mas ele precisa jogar", disse, sem querer entrar em detalhes.

A escolha do treinador interfere diretamente no desenho tático do time, já que os jogadores têm características bastante distintas. Se Osvaldo for o escolhido, Pabon pode ser recuado para atuar ao lado de Ganso; caso o colombiano seja sacado, o Tricolor atuará num 4-3-3 clássico, com Pato aberto pela direita. Por fim, o atacante pode ganhar a vaga de Luis Fabiano e ser a referência na grande área.

Pato evita escolher uma função e diz que o mais importante é estar em campo e enfim estrear pelo clube após passar exatamente um mês só treinando. "Isso mexe mais com a comissão técnica. Só tenho de fazer aquilo que me pedem, que é treinar. Infelizmente ainda não pude jogar, mas quem vai decidir é o professor Muricy."

Quando Pato chegou, o técnico disse que não o via atuando como centroavante, mas pode colocá-lo nessa posição se decidir poupar Luis Fabiano para não sobrecarregá-lo – mas a tendência é mesmo que Osvaldo ou Pabon perca a posição.

"Felizmente nosso ambiente está bom e os jogadores entendem isso. O cara que sair dará lugar para outro que caiu bem em termos de grupo, treina bem e chega cedo."

ANSIEDADE

Pato não esconde a vontade de estrear pelo Tricolor. Nos treinos, ele tem se destacado pelos gols e pela boa consciência tática. O desempenho tem impressionado a comissão técnica. "Desde que cheguei estou esperando o dia de estrear. Não vejo a hora de jogar, tenho certeza de que ainda ficarei mais ansioso", disse o atacante.

"Temos certeza de que ele vai nos ajudar muito porque é um grande jogador, esperamos que ele possa fazer gols e escreva a história dele com muitos títulos com a gente", ponderou Rodrigo Caio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.