Daniel Teixeira / AE
Daniel Teixeira / AE

Escolha o gol mais bonito do Santos neste século

Júri formado por profissionais da equipe de Esportes do 'Estadão' selecionou quatro gols do time desde 2000; voto final será do torcedor

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de fevereiro de 2021 | 10h00

Qual é o gol mais bonito marcado pelo Santos neste século? Para ajudar o torcedor nesta difícil e polêmica escolha, os jornalistas da editoria de Esportes do Estadão elegeram quatro lances memoráveis. Agora, a decisão final será da torcida.

Alberto, contra o Corinthians, no Brasileirão 2002

Diego arrancou pelo lado esquerdo do campo e cruzou; ninguém conseguiu aparar, a bola subiu e a zaga afastou mal. Alberto, então, armou uma linda bicicleta que acertou a bola no ângulo para abrir o placar. O Santos venceu a partida por 4 a 2, sendo que o próprio Alberto fez mais um gol, e Elano os outros dois. Na final, os dois times se reencontraram, e novamente o Santos se deu melhor.

Robinho, contra o São Paulo, no Paulistão de 2010

A geração de Meninos da Vila já vinha encantando com Ganso, Wesley, André e, claro, Neymar, em grande fase, quando Robinho voltou à equipe para ser o toque de experiência no ataque. E, logo no primeiro jogo, já fez a diferença: o jogo contra o São Paulo estava empatado em 1 a 1 quando Wesley cruzou e Robinho, em um lance muito plástico, completou de letra para as redes. O São Paulo foi campeão paulista e da Copa do Brasil.

Neymar, contra o Flamengo, no Brasileirão de 2011

O gol de Neymar acabou entrando para a história do futebol brasileiro e até mundial: ele tabela com o companheiro, avança, usa as duas pernas para driblar Ronaldo Angelim e toca na saída do goleiro Felipe. Recebeu até o prêmio Puskás de gol mais bonito da temporada. O Santos fazia 3 a 0 contra o Flamengo na Vila Belmiro, mas o time rubro-negro ainda conseguiu virar para 5 a 4 em uma partida eterna do nosso futebol.

Neymar, contra o Internacional, na Libertadores de 2012

E não foi o único de Neymar: na fase de grupos da Libertadores 2012, o atacante recolheu a bola na intermediária defensiva, deixou um marcador comendo poeira, diminui o ritmo perto de outro, o qual também dribla, protege da chegada do terceiro e, na cara do goleiro, dá um toquinho por cima. Ainda fez outro gol parecido na mesma partida. O Santos venceu por 3 a 1.

Não se esqueça de votar! 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.