Eduardo Nicolau/Estadão
Eduardo Nicolau/Estadão

Espanha derrota a Holanda e é campeã mundial pela primeira vez na Copa de 2010

Campeã europeia dois anos antes, equipe vinha mal da Copa das Confederações, mas confirmou o título

Glauco de Pierri, O Estado de S.Paulo

11 Maio 2018 | 03h00

A Copa do Mundo de 2010 desembarcou pela primeira vez no continente africano – a África do Sul recebeu as 32 seleções que começaram a luta pelo título. Logo de cara, algumas seleções despontavam como favoritas, entre elas a Espanha, que dois anos antes havia vencido a Eurocopa, a Alemanha, que vivia no meio de uma reformulação de todo o seu futebol, e ainda as tradicionais seleções do Brasil, treinada por Dunga, e da Argentina, que era comandada por Diego Armando Maradona.

Confira a página especial sobre a Copa do Mundo de 2018

INFOGRÁFICO - Brasil, a camisa mais pesada do futebol mundial

ESPECIAL - 15 anos do Penta, nossa última conquista

Na primeira fase do Mundial sul-africano, alguns resultados deixaram o mundo espantado, como as duas derrotas da França para as seleções do México (2 a 0) e África do Sul (2 a 1), que vieram junto com uma rebelião dos jogadores franceses contra o então técnico Raymond Domenech.

O Brasil caiu no Grupo C, com Portugal, Costa do Marfim e Coreia do Norte. Na primeira fase, a seleção conquistou duas vitórias, contra Coreia do Norte (2 a 1) e Costa do Marfim (3 a 1) e ficou no empate sem gols com Portugal na última rodada. Nas oitavas de final, o Brasil venceu fácil o Chile por 3 a 0 e partiu para as quartas de final, onde enfrentou a Holanda.

A seleção brasileira fez ótimo primeiro tempo, perdeu boas chances, mas abriu o placar perto dos 45 com um gol de Robinho. Contudo, na segunda etapa o volante Felipe Melo foi expulso, o goleiro Julio Cesar falhou e com dois gols de Snejder, os holandeses viraram para 2 a 1 e avançaram às semifinais.

A Espanha chegou ao mundial com certa dose de desconfiança por parte de seus torcedores, apesar do título europeu. Isso porque em 2009 o time não fez uma campanha boa na Copa das Confederações. Para piorar, na primeira partida, contra a Suíça, a seleção espanhola não se encontrou em campo e perdeu o jogo por 1 a 0. Isso obrigou a equipe a vencer seus outros dois jogos da primeira fase – 2 a 0 em Honduras e 2 a 1 no Chile.

Nas oitavas de final, partida difícil e vitória na prorrogação em cima de Portugal por 1 a 0, gol de David Villa. Nas quartas de final, o cenário se repetiu contra o Paraguai – até o placar e o autor do gol foram os mesmos. Na semifinal, os espanhóis encontraram os outros favoritos ao título, a Alemanha e mais uma vitória magra, gol do zagueiro Puyol.

Na finalíssima, o encontro entre duas grandes escolas europeias acabaria com uma seleção campeã do mundo pela primeira vez. De um lado a Espanha, do outro a Holanda. Em uma partida tensa, os espanhóis venceram por 1 a 0, gol de Andrés Iniesta já na parte final do segundo tempo da prorrogação. Era a consagração para um geração de jogadores do país cheia de títulos e que colocou o país definitivamente entre os maiores do mundo do futebol.

FICHA DA FINAL

HOLANDA 0 X 1 ESPANHA

HOLANDA: Stekelenburg; Van der Wiel, Heitinga, Mathijsen, Van Bronckhorst (Braafheid, aos 15'/1° tempo prorrogação); Van Bommel, De Jong (Van der Vaart, aos 9'/1° tempo prorrogação), Sneijder; Kuyt (Elia, 25'/2°.T), Van Persie e Robben. Técnico: Bert Van Marwijk.

ESPANHA: Casillas; Sergio Ramos, Piqué, Puyol, Capdevilla; Xabi Alonso (Cesc Fabregas, 42'/2ºT), Busquets, Xavi, Iniesta; Pedro (Jesús Navas, 15'/2°T) e Villa (Torres, intervalo da prorrogação). Técnico: Vicente del Bosque.

GOL: Iniesta, aos 12 minutos do segundo tempo da prorrogação.

ÁRBITRO: Howard Webb (Inglaterra).

DATA: 11 de julho de 2010

PÚBLICO: 84.490 pagantes

LOCAL: Estádio Soccer City, em Johannesburgo, África do Sul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.