Themba Hadebe/AP
Themba Hadebe/AP

Espanha e África do Sul decidem o 3.° lugar em Rustenburg

Derrotadas na semifinal, seleções se despedem da Copa das Confederações 2009 às 10 horas deste sábado

O Estado de S. Paulo,

27 de junho de 2009 | 17h37

RUSTENBURG - Na cidade de Rustenburg, África do Sul e Espanha duelam neste domingo, às 10 horas, com motivações distintas pelo terceiro lugar da Copa das Confederações. O time de Joel Santana quer repetir a atuação contra o Brasil para também dificultar a vida da atual seleção número 1 do mundo. Já os espanhóis, que davam como certa a presença na final, tentam reencontrar seu futebol alegre na despedida do torneio. O confronto terá acompanhamento online do estadao.com.br.

Veja também:

Copa das Confederações 2009 - tabela Classificação

Copa das Confederações 2009 - lista Calendário

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Satisfeito com o desempenho de seus comandados na derrota para o Brasil por 1 a 0, Joel Santana viu diminuir a pressão sobre seu trabalho à frente da seleção sul-africana. A imprensa do país estampou manchetes enaltecendo o esforço dos jogadores, a quem chamou de heróis. Uma boa atuação do time contra a Espanha deve consolidar o brasileiro no cargo e garanti-lo na Copa de 2010.

A torcida, que tem apoiado ao máximo a seleção, ficou mais confiante no time. A partida contra os espanhóis ainda tem sabor de revanche: em Bloemfontein, pela fase de grupos, os campeões europeus ganharam por 2 a 0.

Espanha
Reina, Arbeloa, Puyol, Marchena e Capdevila; Cesc Fábregas, Cazorla, Mata e Silva; Fernando Torres e Guiza
Técnico: Vicente del Bosque
África do Sul
Khune; Gaxa, Mokoena, Booth e Masilela; Mhlongo, Dikgacoi, Pienaar e Thsabalala; Modise e Parer
Técnico: Joel Santana
Árbitro: Matthew Breeze (AUS)

Estádio: Real Bafokeng, em Rustenburg (África do Sul)

Horário: 10 horas

TV: Bandeirantes

Na Espanha, o desafio é vencer a decepção por ficar de fora do confronto contra o Brasil na decisão. A lua de mel dos torcedores com a seleção nacional terminou com uma inesperada derrota por 2 a 0 para os EUA, que acabou com a invencibilidade de 35 jogos da equipe.

"Jogar pela seleção já é motivação suficiente, inclusive para disputar o terceiro lugar, que é o que nos interessa no momento", disse o artilheiro Fernando Torres. "O que importa é ganhar antes de sair de férias."

Mais do que isso, precisa jogar bonito para apagar as atuações ruins que se seguiram ao show da estreia (4 a 0 sobre a Nova Zelândia).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.