Espanha reconhece jogadores de 77 países como comunitários

Além dos atletas da Comunidade Européia, não serão mais 'estrangeiros' atletas da África, Caribe e Pacífico

05 de outubro de 2007 | 17h48

A Federação Espanhola de Futebol decidiu nesta sexta-feira reconhecer como comunitários todos os jogadores nascidos nos 77 países da Associação dos Estados da África, Caribe e Pacífico (ACP), em cumprimento de um acordo assinado no ano 2000 com a União Européia (UE). Segundo a federação, Real Madrid e Getafe solicitaram em julho que seus respectivos jogadores Diarra, do Mali, e Uche, da Nigéria, recebessem tratamento de comunitários em virtude deste acordo. A federação espanhola fez consultas à Uefa e à Fifa sobre a aplicação destas normas, e acabou recebendo carta branca para adotá-las. "Isto quer dizer que, a partir deste momento, os jogadores destes países que jogam na Espanha serão considerados comunitários e também os que chegarem a partir de hoje [sexta-feira]", explicou Jorge Carretero, porta-voz da federação. Carretero anunciou também que será divulgada uma circular para explicar detalhadamente esta nova situação no futebol espanhol, já que passa por cima dos regulamentos esportivos e entra em política de Estados.

Tudo o que sabemos sobre:
Campeonato Espanhol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.