Espanha sente a falta dos gols de Morientes, diz Reyes

O meia-atacante José Reyes admitiu nesta terça-feira que a Espanha sente falta, no momento, da presença do atacante Fernando Morientes, que ficou de fora da lista de convocados pelo técnico Luis Aragonés. "Ele ajuda nosso ataque e marca muitos gols", afirmou o jogador do Arsenal. Morientes, que acaba de trocar o Liverpool pelo Valencia, marcou 30 gols em 43 partidas pela "Fúria". Mas o técnico optou pela renovação, que foi defendida pelo goleiro Santiago Cañizares. "Ele é magnífico, mas é melhor falarmos de que está aqui. Nosso time é jovem, mas já provou que pode vencer", disse o goleiro. O ataque tem sido o calcanhar-de-aquiles da Espanha na preparação para a Copa. No sábado, o empate por 0 a 0 com a Rússia, em Albacete, deixou o país preocupado com a forma física de Raúl, maior artilheiro da história da seleção, com 42 gols, e capitão da equipe. Ele entrou no segundo tempo, e ainda se ressente de uma lesão nos meniscos sofrida em novembro, durante o jogo contra o Barcelona. Ele optou por não ser submetido a uma cirurgia, mas teve dificuldades em se recuperar fisicamente e pouco jogou pelo Real Madrid durante o resto da temporada. "Raúl é nosso líder. Com ele em campo nos sentimentos mais seguros, sem dúvida", disse Fernando Torres, uma das principais revelações da Espanha nos últimos anos e outra alternativa de ataque, que promete um bom desempenho no Mundial. "É a hora de darmos nosso máximo. Essa pode ser a Copa do Mundo da Espanha", diz o atacante do Atlético de Madri. A Espanha ainda faz mais dois amistosos antes da Copa: pega o Egito, sábado, em Elche, e a Croácia, dia 7, em Genebra. A estréia será contra a Ucrânia, no dia 14, em Leipzig.

Agencia Estado,

30 Maio 2006 | 13h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.