Espanha sobra e goleia a estreante Ucrânia por 4 a 0

A Espanha passeou em campo, goleou a Ucrânia por 4 a 0, nesta quarta-feira, em Leipzig, no jogo de abertura do Grupo H, e mostrou que tem chances de realizar seu principal objetivo na Copa, que é superar as quartas-de-final e ficar entre os quatro primeiros, o que não acontece desde 1950, no Brasil.Com o brasileiro Marcos Senna em campo, e sem Raúl, que ainda não recuperou sua melhor forma depois de sofrer uma contusão no joelho, a Espanha impôs seu ritmo desde o início da partida, disputada sob sol forte e muito calor. O gol de abertura saiu logo a 13 minutos, numa bola aérea. Após cobrança de escanteio pela esquerda, o volante Xabi Alonso superou a defesa ucraniana e abriu o placar.A Ucrânia, que fazia sua estréia em Mundiais e contava com o craque Shevchenko, escalado de última hora pelo técnico Oleg Blokhin, mal teve tempo de buscar a reação: aos 17 minutos, David Villa bateu falta e contou com um desvio na barreira para enganar o goleiro Shovkovskyi.A Espanha manteve o ritmo forte e, com a posse de bola por mais tempo, criou as melhores oportunidades para ampliar o placar, enquanto a Ucrânia pouco conseguia fazer. E definiu a partida logo no início da segunda etapa, com a ajuda do árbitro suíço Massimo Busacca, que anotou pênalti numa falta cometida fora da área pelo zagueiro Vashchuk.O atacante Fernando Torres puxou um contra-ataque e foi puxado pelo calção pelo ucraniano, mas caiu apenas dentro da área. O árbitro, que só viu a queda, anotou o pênalti e expulsou o camisa 17 ucraniano. David Villa bateu o pênalti com perfeição, no canto direito do goleiro.Apenas depois dos 15 minutos, com a entrada dos atacantes Voronin, Rebrov e Vorobey, a Ucrânia começou a ameaçar o gol de Casillas - Shevchenko, cansado e ainda longe da melhor forma, depois de sofrer uma lesão no joelho em sua última atuação pelo Milan - depois da Copa vai jogar no Chelsea -, atuou os 90 minutos mas pouco fez de concreto.A Espanha passou a cadenciar o jogo, e definiu aos 35 minutos, quando o astro Raúl já estava em campo. Numa bela jogada, que terminou num passe dado pelo zagueiro Puyol, Torres bateu de primeira e anotou a maior goleada da Copa até agora.O placar poderia ter sido ainda mais elástico. Entregue, a Ucrânia terminou o jogo recheada de atacantes em campo e totalmente vulnerável - e o goleiro Shovkovskyi virou herói, com pelo menos três grandes defesas em chutes de fora da área.Espanha 4 x 0 UcrâniaEspanha - Casillas; Sergio Ramos, Pablo, Puyol e Pernía; Xavi, Marcos Senna, Xabi Alonso (Albelda) e Luis García (Fabregas); Torres e Villa (Raúl). Técnico: Luis Aragonés. Ucrânia - Shovkovskyi; Yezerskiy, Rusol, Vashchuk e Nesmachniy; Gusev (Vorobey), Tymoschuk, Gusin (Shelayev) e Rotan (Rebrov); Shevchenko e Voronin. Técnico: Oleg Blokhin.Gols: Xabi Alonso, aos 13, e Villa, aos 17 minutos do primeiro tempo; Villa (pênalti), aos 2, e Torres, aos 35 minutos do segundo tempo.Cartões amarelos: Rusol e Yezerskiy.Cartão vermelho: Vashchuk.Árbitro: Massimo Busacca (SUI).Local:Zentralstadion, em Leipzig.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.