Roman Kruchinin/AFP
Roman Kruchinin/AFP

Espanha sofre, mas supera retranca do Irã e reage na Copa do Mundo

Espanhóis fazem 1 a 0 sobre iranianos e vencem a primeira nesta Copa do Mundo

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

20 Junho 2018 | 17h05

A Espanha espantou a zebra e o "fantasma" da Copa de 2014 ao conquistar uma suada vitória sobre o Irã por 1 a 0, nesta quarta-feira, em Kazan. Um gol de Diego Costa, com a ajuda da defesa iraniana, manteve os campeões mundiais de 2010 na briga pela classificação e pela primeira posição do Grupo B da Copa do Mundo da Rússia

+ TEMPO REAL - Irã 0 x 1 Espanha

+ Cristiano Ronaldo assume artilharia da Copa e Portugal elimina o Marrocos

O gol veio no início da segunda etapa, após boa dose de sofrimento e frustração no primeiro tempo, diante da retranca do rival. Depois de abrir vantagem, a Espanha ainda precisou superar sustos em sua defesa. O limitado Irã chegou a marcar o gol de empate, devidamente anulado, por impedimento. 

O primeiro triunfo espanhol em solo russo afastou o risco de queda precoce na Copa, como aconteceu há quatro anos, no Brasil. E também deixou a chave embolada. Espanha e Portugal estão empatados em praticamente todos os quesitos, ambos com quatro pontos. Os espanhóis ocupam o primeiro lugar por conta do número de cartões amarelos. O Irã é o terceiro, com três, e o Marrocos, já eliminado, segue sem pontuar.

A Espanha encerrará sua participação no Grupo B, em busca da classificação, contra o Marrocos na próxima segunda-feira, em Kaliningrado. O Irã vai duelar com Portugal no mesmo dia, em Saransk.

 

O JOGO

Depois do empate com Portugal na estreia, a Espanha entrou em campo com uma formação mais ofensiva nesta quarta. Fernando Hierro trocou Koke por Lucas Vázquez. E fez um ajuste na defesa ao devolver Carvajal, poupado na estreia por estar se recuperando de lesão, para a lateral direita. 

Hierro sabia que sua seleção iria encarar uma retranca complicada em Kazan. E a Espanha precisou de poucos segundos em campo para perceber que o Irã iria se defender com até seis jogadores na primeira linha defensiva. E que teria até 11 jogadores atrás da linha da bola.

O resultado foi um duelo franco entre ataque e defesa, em que o Irã levou a melhor durante todo o primeiro tempo ao congestionar sua área e a intermediária. Para ajudar, os espanhóis exibiram afobação de forma precoce no jogo, gerando erros bobos e jogadas mais óbvias. 

A Espanha também sofria por priorizar as jogadas pelo meio, em detrimento dos laterais. Iniesta tinha pouca mobilidade e David Silva desperdiçava as raras oportunidades no ataque. A primeira surgiu aos 24, em cobrança de falta. O goleiro Beiranvand defendeu com facilidade. 

Cinco minutos depois, o meia do Manchester City tentou um chute meio atrapalhado enquanto girava, quase na pequena área. Mandou por cima do travessão. E, aos 46, em sua melhor chance, encheu o pé de fora da área. Mas viu a bola desviar na defesa e passar perto da trave direita do goleiro iraniano.

O Irã, estacionado na defesa, tentou lances esparsos de contra-ataque no início da partida. E, a partir dos 30, permaneceu no ataque por raros minutos, o que não foi aproveitado pela Espanha como contragolpe.

Para o segundo tempo, Hierro manteve a confiança em seus titulares e evitou mudanças. Ele quase foi premiado nos primeiros minutos, quando Piqué e Vázquez perderam grandes chances. Em uma etapa mais movimentada, o Irã buscou o ataque e quase abriu o placar aos 7, com Karim Ansarifard, dando um susto na defesa europeia. 

Os espanhóis foram do susto à festa em apenas um minuto. Numa rápida trama no ataque, a bola sobrou para Diego Costa na defesa iraniana. O zagueiro tentou tirar, mas bateu em cima do atacante, que viu a bola morrer no fundo das redes. 

Em desvantagem, o Irã passou a buscar o ataque. Levou perigo aos 14 e até balançou as redes dois minutos depois. Mas o árbitro assinalou correto impedimento de Ezatolahi, que comemorava o gol com toda a delegação iraniana quando o lance já estava anulado.

Passado o novo momento de apreensão na defesa, a Espanha acalmou o jogo e passou a administrar a vantagem. O Irã teve mais uma boa chance de gol, aos 36, mas não converteu. E os favoritos confirmaram a primeira vitória na competição. 

FICHA TÉCNICA

IRÃ 0 x 1 ESPANHA

IRÃ - Beiranvand; Ramin, Hosseini, Pouraliganji e Hajsafi (Mohammadi); Omid, Ezatolahi, Karim (Jahanbakhsh), Mehdi, Amiri (Ghoddos); Sardar. Técnico: Carlos Queiroz.

ESPANHA - De Gea; Carvajal, Piqué, Sergio Ramos e Jordi Alba; Busquets, Lucas Vázquez (Asensio), Iniesta (Koke), Isco e David Silva; Diego Costa (Rodrigo). Técnico: Fernando Hierro.

GOL - Diego Costa, aos 8 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Amiri, Omid.

ÁRBITRO - Andrés Cunha (Fifa/Uruguai).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Arena Kazan, em Kazan (Rússia).

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.