Espanhóis estão loucos por Robinho

O atacante Robinho deu entrevista nesta terça-feira para falar de seleção brasileira. Quer dizer, era esta a intenção. O jogador teve de falar quase que exclusivamente de Real Madrid. Isso porque os vários jornalistas espanhóis enviados por suas empresas a Split estão interessados apenas em saber o que ele fará a partir de 25 de setembro, quando se apresentará ao clube que o contratou por 50 milhões de euros (30 milhões deles para o Santos). Assim, foi uma avalanche de questões, todas respondidas com paciência. Robinho contou com a ?assessoria? de Ronaldo, que brincou o tempo todo, fingindo dar-lhe conselhos. Um, de fato, o Fenômeno deu, ao ser perguntado se ajudaria o novo companheiro com o idioma espanhol: "O importante é ele não pegar o mesmo professor que o Vanderlei??, brincou Ronaldo, aproveitando para ironizar o péssimo espanhol do técnico Vanderlei Luxemburgo. Aos jornalistas espanhóis - estão na Croácia profissionais dos jornais As e Marca e do site do Real Madrid -, Robinho bem que tentou explicar que prefere concentrar-se em uma coisa de cada vez e que o momento atual é de pensar na seleção. Não adiantou. ?Robinho, como se sente agora que vai jogar no Real??, perguntou um espanhol logo depois. ?Fico feliz e espero fazer história no Real. Estou ansioso para começar a trabalhar com meus novos companheiros?, respondeu o atacante, que, se não houver mudanças de planos, despede-se do Santos no dia 24, na partida contra o Paysandu, e viaja no dia seguinte para começar ?vida nova?. O atacante também espera cair logo nas graças da torcida do Real - e segundo foi informado pelos jornalistas, vai ser recebido com um carinho normalmente destinado a jogadores que já fizeram muita coisa com a camisa do clube de Madrid. ?O Ronaldo me disse que a torcida é maravilhosa?. Robinho acredita que vai se adaptar rapidamente tanto ao time do Real quanto ao futebol espanhol. "O Real tem vários brasileiros, conheço todos eles e o elenco é muito bom. E o futebol na Espanha é bem disputado?. Quando conseguiu falar de seleção - as perguntas, claro, foram dos jornalistas brasileiros -, Robinho disse que não teria problemas em fazer a função tática que Ronaldinho Gaúcho faz no quadrado ofensivo da seleção brasileira (ele ainda não sabia que o técnico Carlos Alberto Parreira só pretendia colocá-lo em campo no segundo tempo). "Se tiver de voltar um pouco para ajudar na marcação, não vai ter problema. O importante é que a seleção jogue bem?. No treino em que definiu o time, porém, Parreira em nenhum momento colocou Robinho na equipe titular. No time reserva, ele ocupou sempre a faixa esquerda do campo de ataque, função que está acostumado a exercer no Santos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.