Espanhóis estão otimistas com chance de vencer a França

Nada, nem mesmo a França como adversária nas oitavas-de-final, na terça-feira, em Hannover, abala a confiança do técnico Luis Aragonés no elenco espanhol. ?Acredito muito nos meus jogadores e confio que vamos nos classificar?, afirmou o treinador. ?O time que quer ser grande numa Copa do Mundo não pode temer nenhum adversário, nem a França, nem o Brasil?, disse Aragonés, prevendo um possível duelo contra o time de Carlos Alberto Parreira nas quartas-de-final.Apesar de confiante, o treinador fez uma ressalva para o duelo contra os franceses: a atenção será fundamental para conquistar o resultado positivo. ?No futebol, e principalmente num confronto eliminatório, é preciso ter atenção a todo instante?, observou Aragonés. ?Se você não estiver atento, podem lhe roubar a carteira?, disse, bem-humorado. ?Os franceses têm uma grande equipe, mas conhecemos suas qualidades e como anulá-las?, garantiu.Aragonés disse estar satisfeito com o desempenho da equipe na primeira fase, apesar de os reservas não terem feito uma boa apresentação contra a Arábia Saudita, na magra vitória por 1 a 0, na sexta-feira. ?Conquistamos nove pontos em três jogos, terminamos em primeiro lugar do grupo e isso me deixa contente?, resumiu. ?Agora, nas oitavas-de-final é que o Mundial começa para valer?, opinou.O técnico não adiantou a escalação que entrará em campo na terça-feira, mas o time deve ter a volta de todos os titulares, poupados contra a Arábia Saudita. ?Conheço muito bem este grupo, que já sabe como é meu estilo de trabalho?, disse. ?Foi importante que todos tiveram chance de atuar nesses primeiros jogos.? Para os espanhóis, o confronto diante dos franceses será a chance de devolver duas das maiores derrotas de sua história, ambas na Eurocopa.No ano 2000, quando os franceses foram campeões, derrotaram os rivais por 2 a 1, nas quartas-de-final - Raúl perdeu um pênalti nos acréscimos. Pior ocorreu em 1984, na decisão do título: a França ganhou por 2 a 0, em Paris, e ficou com a taça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.